Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/08/20 às 11h30 - Atualizado em 18/08/20 às 11h35

A importância da Farmácia Viva na produção de fitoterápicos

COMPARTILHAR

Alguns desses medicamentos naturais são únicos e garantem a promoção à saúde

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE DF

 

Garantir medicamentos fitoterápicos, produzidos a partir de plantas medicinais e da maneira mais natural possível, é uma forma de promoção à saúde. Por isso, os fitoterápicos feitos há 31 anos pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal estão inseridos no contexto das políticas públicas e no da atuação de vários profissionais que formam uma cadeia produtiva.

 

Medicamentos fitoterápicos produzidos pela Farmácia Viva são dispensados na rede pública de saúde do DF – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

“Os fitoterápicos fazem parte das políticas públicas em plantas medicinais do Brasil. Eles estão inseridos no contexto da Atenção Básica em Saúde não só a valorização do conhecimento tradicional e da biodiversidade brasileira como também a possibilidade de oferecer à população uma proposta de tratamento que se consiga fazer com que o conhecimento tradicional e a ciência perpetuem-se”, explica Nilton Netto Junior, farmacêutico chefe do Núcleo de Farmácia Viva.

 

Hoje, a Secretaria de Saúde do DF conta com duas unidades, conhecidas como “Farmácias Vivas”, as quais manipulam e ofertam fitoterápicos aos usuários dos serviços de saúde. As formulações seguem o Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira (Anvisa, 2011).

 

Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Nilton destaca que alguns fitoterápicos usados na Atenção Básica são únicos, ou seja, o fitoterápico é a única proposta para o alcance à população e o tratamento e intervenção à saúde.

 

“Nós temos casos de fitoterápicos da nossa lista produzidos pela nossa Farmácia Viva que estão inseridos neste contexto, um exemplo é a tintura de funcho, o gel de erva baleeira, a tintura de boldo, ou seja, são opções únicas, seguras e eficazes para tratamento à saúde ou proposta de manutenção da qualidade de vida da população”, afirma.

 

Colheita de plantas medicinais que são utilizadas na produção dos fitoterápicos – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

Atualmente, são produzidos e ofertados à população os fitoterápicos oficinais relacionados abaixo:

● Xarope de guaco (Mikania laevigata): Expectorante
● Tintura de guaco (Mikania laevigata): Expectorante
● Chá medicinal de guaco (Mikania laevigata): Expectorante
● Tintura de boldo nacional (Plectranthus barbatus): Antidispéptico (má digestão)
● Tintura de funcho (Foeniculum vulgare): Antiflatulento, antidispéptico e antiespasmódico.
● Gel de erva baleeira (Cordia verbenacea): Anti-inflamatório em dores associadas a músculos e tendões.
● Gel de confrei (Symphytum officinale): Cicatrizante, equimoses, hematomas e contusões.
● Gel de babosa (Aloe vera): Cicatrizante
● Gel de alecrim pimenta (Lippia sidoides): Antisséptico, antimicótico, escabicida.

 

Saiba quais são as unidades dispensadoras de fitoterápicos aqui.

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

REVISÃO: JULIANA SAMPAIO