Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/05/19 às 13h40 - Atualizado em 15/05/19 às 13h43

Abertura nacional do projeto de gestão de residência e preceptoria no SUS ocorre no DF

COMPARTILHAR

Ao todo, 40 regiões do Brasil terão a iniciativa

 

Servidores da Secretaria de Saúde do Distrito Federal participaram, nesta quarta-feira (15), da abertura nacional do projeto de Desenvolvimento da Gestão de Programas de Residência e da Preceptoria no Sistema Único de Saúde (DGPSUS), operacionalizada pelo Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP/HSL) em 40 regiões do Brasil. No DF, o evento ocorreu no auditório da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs).

 

Por meio de videoconferência, representantes do Sírio-Libanês em São Paulo explicaram o objetivo do projeto para os profissionais de saúde de todo o país. A ideia é apoiar e qualificar a gestão de programas de residências e outras iniciativas educacionais, e a preceptoria no SUS, incluindo a graduação e as residências em saúde (médica, multiprofissional e uniprofissional).

 

O projeto compreende a oferta de dois cursos de pós-graduação desenvolvidos de forma articulada: Especialização em Preceptoria no SUS (PSUS) e Aperfeiçoamento em Gestão de Programas de Residência (GPRS). Foram ofertadas, até 2020, nas diversas regiões do Brasil, 800 vagas para o PSUS e outras 150 para o GPRS.

 

Pelo PSUS, serão 12 encontros mensais, além de reuniões para acompanhamento da implementação e acompanhamento dos projetos de intervenção construídos durante o curso. Já o GPRS é uma iniciativa de aperfeiçoamento, com sete encontros mensais, além de reuniões para implementação e acompanhamento do projeto de intervenção específico.

 

REALIDADE – “Esperamos, efetivamente, mexer na realidade, no tocante à qualificação do cuidado, por meio da formação de preceptores e gestores, que formam as pessoas que vão trabalhar em saúde. Essa é a nossa responsabilidade, melhorar o SUS”, explicou, por videoconferência, o coordenador do projeto pelo Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa, Everton Soeiro.

 

Na mesma visão, a representante do IEP/HSL, Vera Garcia, ressaltou que, mais do que uma formação técnica, serão implementados pelos inscritos na iniciativa, ao longo dos cursos, “projetos de intervenção na realidade do Sistema Único de Saúde”, com o objetivo de melhorar as práticas em saúde adotadas em cada região. “Terá um nível de ensino, qualidade e excelência que vai fazer a diferença no SUS”, ressaltou.

 

BRASÍLIA – Em Brasília, são 20 vagas no PSUS para alunos da Secretaria de Saúde do DF. O curso será realizado entre maio de 2019 e dezembro de 2020. Já para o GPRS, que vai ocorrer em São Paulo, são quatro vagas para alunos da Secretaria de Saúde, também com previsão de ocorrer entre maio de 2019 e dezembro de 2020.

 

“A Secretaria de Saúde tem aderido a todos esses projetos. Entendemos que a formação e a residência são mecanismos que potencializam a qualificação dos profissionais para dar resposta às necessidades da sociedade. Nossa vontade é fortalecer e dar condições para que os servidores possam se capacitar e se qualificar”, afirmou o secretário-adjunto de Gestão em Saúde, Sérgio Costa, que representou o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

 

REPLICADORES – Na avaliação do diretor executivo da Fepecs, Marcos Ferreira, o essencial é formar pessoas que serão replicadoras de ensino, principalmente na Atenção Primária. “Desse jeito, fazemos com que nossos pacientes tenham um atendimento mais eficaz”, pontuou.

 

“Nesse curso, os participantes poderão redefinir as suas práticas e formar outros preceptores mais à frente. Hoje, vocês estão iniciando um papel de liderança na preceptoria das residências da Secretaria de Saúde do Distrito Federal”, afirmou a gerente de Residência, Especialização e Extensão da Escola Superior em Ciências da Saúde (Escs), Vanessa Campos.

 

A iniciativa é fruto de uma parceria entre o Ministério da Saúde e o Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi SUS).

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde
Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF