Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/07/20 às 13h30 - Atualizado em 28/07/20 às 15h43

Ambulatório de Disfunção Miccional começa a funcionar na rede pública de saúde do DF

COMPARTILHAR

Cerca de 1,6 mil pacientes serão beneficiados com o novo serviço

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

Começou a funcionar, em toda a rede, o Ambulatório de Disfunção Miccional. Esse serviço é destinado ao atendimento do Usuário com Necessidade de Cateterismo Vesical Intermitente, que prevê dispensação do insumo cateter vesical para cateterismo limpo intermitente de usuários com condições clínicas que demandam o procedimento em domicílio.

 

Novo serviço está disponível em oito unidades da rede pública de saúde – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

No entanto, algumas complicações justificam a substituição do cateter convencional pelo cateter hidrofílico. Para melhorar a assistência desses pacientes, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal decidiu fazer a aquisição do cateter hidrofílico. Os cateteres hidrofílicos foram desenvolvidos com o objetivo de facilitar a técnica de cateterismo vesical intermitente, proporcionando maior conforto ao paciente.

 

A camada de polímero do cateter, em contato com água, torna-o deslizante, o que facilita a entrada e mantém lubrificada toda a uretra, proporciona menor fricção ou trauma uretral e reduz os índices de complicações, sendo as mais recorrentes as infecções de repetição, o sangramento persistente, a infecção de trato urinário.

 

“Este novo cateter vai possibilitar a melhoria da qualidade de vida, evitar internações por infecções e dar mais autonomia para os pacientes, pois como é um material superior, mais confortável e bem mais fácil na hora de realizar o cateterismo, só precisa higienizar as mãos e a região genital”, explica Ana Paula Arboés, enfermeira do Ambulatório de Disfunção Miccional do Hospital da Região de Saúde Leste.

 

Técnica visa melhorar a qualidade de vida dos pacientes  – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

Segundo a profissional, o novo cateter já vem com um gel, o antigo, além de ter um material mais abrasivo, é necessário o uso de uma pomada lubrificante. A troca por este novo cateter vai ajudar muito na autonomia desses pacientes.

 

Os cateteres hidrofílicos, em comparação com os cateteres convencionais, reduzem o atrito da inserção do cateter e a inflamação uretral. De acordo com Ana Paula, a média de pacientes que faz a troca da sonda (cateter) diariamente em toda a rede é de cerca de 1,6 mil. Serão contemplados pelo novo atendimento os usuários do SUS, residentes no Distrito Federal, que sejam portadores de necessidades especiais e que já realizam ou realizarão o cateterismo intermitente em qualquer idade e que apresentem ou venham a apresentar uma ou mais das seguintes complicações e ou/condição clínica: sangramento, estenose, infecções de repetição e tetraparesia.

 

Novo tipo de cateter usado na rede oferece melhor desempenho e mais conforto para os usuários do SUS – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

As complicações associadas ao cateterismo intermitente em longo prazo, embora menos comuns do que no cateterismo uretral de demora, incluem infecções do trato urinário, trauma uretral com sangramento, estreitamento uretral e falso trajeto na mucosa uretral.

 

Atendimento

 

O Ambulatório de Disfunção Miccional do Hospital da Região de Saúde Leste vai funcionar todas as quartas-feiras, no horário da manhã, com atendimento de agenda aberta. De acordo com Ana Paula, o ambulatório é para pacientes bem específicos que serão triados nesse serviço.

 

Confira onde funcionam as demais unidades que oferecem o serviço:

 

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

REVISÃO: JULIANA SAMPAIO