Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/06/20 às 19h08 - Atualizado em 17/06/20 às 22h10

Ampliada a carga horária de servidores da Região de Saúde Oeste

COMPARTILHAR

Profissionais beneficiados atuam na linha de frente nas unidades de Ceilândia e Brazlândia

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal concedeu a ampliação de carga horária para 136 servidores lotados nos hospitais regionais de Ceilândia e de Brazlândia. Antes, os profissionais trabalhavam 20 horas semanais, agora tiveram a carga horária ampliada para 40 horas. A publicação saiu nesta quarta-feira (17), no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF).

 

A ampliação contemplou 83 servidores do Hospital Regional de Ceilândia (HRC) e 53 do Hospital Regional de Brazlândia (HRBz). A maioria da ampliação de carga horária foi para os profissionais de enfermagem dos setores de emergência, Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e outros serviços relacionados à assistência direta ao paciente. No entanto, médicos, enfermeiros, profissionais do laboratório e do administrativo e especialistas também foram beneficiados.

 

“Essas ampliações garantem às unidades contempladas melhores condições para gerenciar o agravamento do déficit de pessoal em razão da pandemia. O absenteísmo por adoecimento dos servidores da linha de frente inviabiliza as escalas e sobrecarrega os demais servidores em atividade”, avalia a subsecretária de Gestão de Pessoas, Silene Almeida.

 

De acordo com a gestora, muitos profissionais estão se afastando por estresse, esgotamento mental e depressão, além dos casos de Covid-19. “A gestão central está preocupada em garantir as condições de trabalho necessárias. Para tanto, dentre outras ações viabilizou a ampliação de carga horária”, informa.

 

AMPLIAÇÃO – Segundo Silene, a estratégia adotada pela gestão é ampliar carga horária de acordo com o serviço, considerando se vai haver a abertura ou ampliação de um serviço, bem como o incremento em setores onde a situação é mais crítica em relação ao déficit.

 

Para isso, os gestores locais apresentam a demanda, que é analisada e instruída pela Subsecretaria de Gestão de Pessoas (Sugep), anexando a justificativa técnica para concessão ou não com posterior deliberação do secretário.

“Essa é a etapa de autuação e instrução. Para a execução, dependemos da análise da equipe da Secretaria de Economia, que é a área competente para deliberar sobre orçamento e financeiro”, explica.

 

NECESSIDADE – O secretário de Saúde, Francisco Araújo, instalou o gabinete especial na Ceilândia no último dia 4 e lá constatou a necessidade da ampliação de carga horária para fortalecer as equipes que estão na linha de frente do enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, além de outras medidas como ampliação de leitos de UTI e instalação do hospital de campanha ao lado do HRC.

 

Diante disso, ele solicitou à superintendência que levantasse as necessidades de ampliação de carga horária dos setores mais críticos da Região Oeste para que fossem empreendidas gestões junto à Secretaria de Economia com o objetivo de liberação do orçamento e recurso financeiro. Na oportunidade, o vice-governador do DF, Paco Britto, esteve na visita e na instalação do gabinete na Ceilândia e garantiu o apoio para a concretização da demanda.

 

“Os servidores são o nosso capital mais valioso. Desde o início dessa gestão, sob a determinação do Governador Ibaneis, temos envidado esforços para valorizar os profissionais de saúde. Essa ampliação atende à necessidade da rede e contempla quem está na linha de frente dessa guerra! Reconhecemos o valor de nossas equipes!” finaliza o secretário de Saúde.