Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/07/19 às 9h18 - Atualizado em 2/07/19 às 13h03

Arraiá dos Canguruzim muda rotina de mães de prematuros no HRT

COMPARTILHAR

Momento de descontração aconteceu no pátio externo do Banco de Leite Humano

 

Eles pesam menos de 1,5 kg e já são os mais novos caipirinhas do Distrito Federal. O Arraiá dos Canguruzim reuniu os bebês da Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru (UcinCa) do Hospital Regional de Taguatinga (HRT), na tarde desta quinta-feira (27). A atividade contou com a presença de familiares e profissionais da Neonatologia, teve muito bate-papo e comidas típicas das festas juninas. Objetivo foi de tirar da rotina as mães que estão há meses cuidando de seus bebês no hospital.

 

A psicóloga Mariana Costa Spehar faz parte da equipe de profissionais que cuida de mães e bebês da UcinCa, e faz parte do grupo que organizou o ‘arraiá’. Ela explica: “É uma forma de variar a rotina das mães e fazer com que elas participem das festividades que fazem parte da nossa vida fora do hospital”.

 

Segundo Mariana, em momentos como esse as mães podem registrar, com seus bebês, a primeira festa junina deles, “como a gente também fez no dia das mães. Além disso, é gratificante trazer novas coisas para elas, para variar essa rotina. É uma tentativa de fazer algo a mais por elas”.

 

Emocionada e com os olhos marejados, a mãe do Kaleb, Elaine Cristina dos Santos, descreve um pouco de suas alegrias e angústias. “Ter umas às outras ajuda muito, fortalece, aumenta nossa fé. Esse tempo, às vezes, é angustiante. Antes, meu filho estava na UTI. Agora, está comigo, no quarto e posso ter ele junto o tempo todo”.

 

Kaleb completará 30 dias de vida no domingo. Ele nasceu de 30 semanas e pesava apenas 1,110 Kg. Hoje, já está com 1.465 Kg. No último dia 26 ele conseguiu mamar no peito pela primeira vez.

 

ROTINA – O HRT realiza partos de gestantes a partir de 25 semanas. Enquanto os recém-nascidos ficam internados na Unidade de Tratamento Intensivo, as mães permanecem na Enfermaria da Mãe Nutriz, no hospital, retirando leite a cada três horas para alimentar os prematuros.

 

Essa rotina permanece até que os bebês consigam mamar no peito, o que geralmente acontece quando eles já se encontram na UcinCa, onde mães e filhos ficam juntos em tempo integral.

 

O Método Canguru é um modelo de assistência ao recém-nascido prematuro e sua família, internado na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal, voltado ao cuidado humanizado, que reúne estratégias de intervenção biopsicossocial. O bebê prematuro é colocado em contato com a pele da mãe ou do pai.

 

 

Josiane Canterle, da Agência Saúde

Fotos: Divulgação/Saúde-DF