Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/05/18 às 13h39 - Atualizado em 15/05/18 às 17h14

Atenção primária fortalece atendimento de saúde bucal

COMPARTILHAR

 

O cuidado com a saúde bucal na rede pública foi fortalecido com a reorganização da assistência por meio da Portaria n° 341, de 12 de abril de 2018. O documento determina que o serviço na atenção primária ocorra exclusivamente por meio da Estratégia Saúde da Família.

 

A medida usa como base a Portaria nº 77, publicada pela Secretaria de Saúde em 2017, que prevê a estratégia como modelo único em todas unidades básicas de saúde. “Antes, a saúde bucal também funcionava sob o modelo tradicional. Os dentistas e técnicos atuavam com atendimentos limitados, e o acesso era dificultado”, explica o gerente de Odontologia da rede, Maurício Basso.

 

Com a nova organização, cada equipe de saúde bucal poderá ser vinculada a até duas equipes de saúde da família. Uma nova possibilidade é para áreas de alta vulnerabilidade social, onde será permitido que cada grupo de saúde bucal atenda a população de uma equipe de saúde da família.

 

“Com isso, vamos ampliar e qualificar o acesso do usuário às unidades”, resume o gerente. O serviço na atenção primária será responsável pelo primeiro contato dos pacientes com a assistência.

 

No acolhimento, o usuário deverá ser submetido à classificação de risco, de acordo com os protocolos vigentes e as diretrizes da linha guia de saúde bucal do DF, construída nos últimos nove meses de acordo com o novo modelo de atenção.

 

Servidora da Secretaria de Saúde, a dentista Érika Mendonça faz, no consultório, visitas a escolas, creches e ministra palestras para grupos específicos, como grávidas, diabéticos e hipertensos como parte da Estratégia de Saúde da Família.

 

As agendas terão espaços para atendimentos individuais e coletivos, visitas domiciliares, reuniões de equipe e atividades de educação em saúde. Elas serão abertas para livre demanda e consultas marcadas, como já ocorre com os outros atendimentos nas unidades básicas de saúde.

 

Com a portaria e a linha de cuidado, também será organizado o acesso às redes de atenção secundária (nível ambulatorial) e terciária (hospitalar), com a devida regulação de acordo com a gravidade de cada caso.

 

São modalidades de equipes de saúde bucal:

 

*Para áreas urbanas

*Para áreas rurais (com responsabilidade pelo atendimento integral à população do campo e da floresta de acordo com a Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo e *da Floresta)

*Vinculadas à unidade odontológica móvel

*Vinculadas às equipes de saúde do sistema prisional

*Vinculadas às equipes do sistema socioeducativo

 

Da Agência Saúde, com informações da Agência Brasília