Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/05/13 às 18h31 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Campanha de prevenção da violência nas regionais de saúde

COMPARTILHAR

NEPAV/SES apoia movimento contra exploração sexual de jovens

” Sou protegida! Digo Não à Violência!!” é o tema da Campanha de Prevenção a violência lançada neste mês pelo Núcleo de Estudos e Programas na Atenção e Vigilância em Violência (NEPAV) da Secretaria de Saúde, para lembrar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, 18 de maio.

Neste sábado (18) o NEPAV/SES apoiará a mobilização nacional contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, a partir das 13h30, na Esplanada dos Ministérios.

Durante todo o mês os Programas de Pesquisa, Assistência e Vigilância em Violência (PAVs) desenvolverão atividades voltadas para a prevenção e atendimento à violência contra a criança e o adolescente, além de orientar a população sobre onde buscar ajuda e os profissionais de saúde sobre seu papel como agentes protetores de crianças e adolescentes. A programação abrange palestras, capacitações e mobilizações nas emergências, unidades básicas de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Os PAVs contam com equipes formadas por médicos, psicólogos e assistentes sociais preparados para acolher e oferecer o atendimento necessário para por fim ao sofrimento decorrente da vivência de violência. De acordo com a coordenadora do NEPAV/SES, Lucy Mary Cavalcanti Stroher, ainda este ano começa a funcionar o Serviço de Atenção Integral ao Autor de Violência – adolescente e adulto, que também será atendido na rede de saúde do DF, em um PAV especializado, com inauguração prevista junho.

A assistência aos adolescentes ofensores sexuais é oferecida no PAV do Centro de Orientação Médico-Psicopedagógica (COMPP), desde 2009. O atendimento – uma ação preventiva e interventiva – ê realizado em grupo e a família participa ativamente de todo processo. Este atendimento, uma iniciativa pioneira no Brasil, mostra resultados como a publicação de artigos científicos em revistas nacionais e internacionais e a capacitação de outras equipes da Rede de Saúde do DF.

“O enfrentamento a violência requer uma intervenção ampliada. Precisamos ter um olhar diferenciado. Cuidar da vítima, da família e do agressor. Entendemos que este serviço especializado vai fortalecer a Rede de Proteção pois, os estudos demonstram altos índices de risco de reincidências no caso dos crimes sexuais cometidos por adultos, quando estes não recebem atendimento”, declara a coordenadora do NEPAV/SES.

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Ministério da Saúde – SINAN/MS – apresentam uma maior incidência de violência intrafamiliar e os homens como maiores violadores sexuais de crianças na faixa etária de sete a nove anos.