Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/12/14 às 19h38 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Campanha de vacinação termina nesta quarta-feira (31)

COMPARTILHAR

Centros de Saúde funcionarão até às 14h

A campanha de vacinação contra a Poliomielite e Sarampo termina nesta quarta-feira (31), e os pais ou responsáveis que ainda não levaram seus filhos para imunizar devem ir ao Centro de Saúde mais próximo de acordo com a faixa etária preconizada pelo Ministério da Saúde. As unidades funcionarão até às 14h devido ao ponto facultativo de final de ano. 

O DF ainda espera atingir a meta de imunização, pois o objetivo da campanha é manter a erradicação da poliomielite e garantir a eliminação do sarampo no Brasil. As vacinas ficam disponíveis durante todo o ano nos centros de Saúde

Até a última segunda-feira (29), o DF imunizou 77% do público-alvo contra sarampo e 67% contra poliomielite. A faixa etária para pólio são meninos e meninas a partir de seis meses de idade até cinco anos incompletos, ou seja quatro anos, 11 meses e 29 dias. Já para sarampo, a faixa etária é de um ano até cinco anos incompletos, ou seja quatro anos, 11 meses e 29 dias. 

Embora, atualmente, o Brasil esteja livre da paralisia infantil, é fundamental a continuidade das campanhas de vacinação, para evitar a reintrodução do vírus no país. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 10 países registraram casos de poliomielite em 2013 e 2014, sendo que três deles são considerados endêmicos (Paquistão, Nigéria e Afeganistão).

Sobre as doenças

SARAMPO – é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

POLIOMIELITE – é uma doença infectocontagiosa grave causada pelo poliovírus. A infecção se dá, principalmente, por via oral, através de gotículas expelidas ao falar, tossir ou espirrar. O vírus se multiplica, inicialmente, nos locais por onde ele entra no organismo (boca, garganta e intestinos). Em seguida, vai para a corrente sanguínea e pode chegar até o sistema nervoso, dependendo da pessoa infectada. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores.