Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/08/13 às 16h33 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Números de serviços em saúde mental triplicaram nos últimos dois anos

COMPARTILHAR

 CAPS-AD da Rodoviária recebeu 700 pacientes 

 

Com muita música, dança, oficinas variadas e gincana, foi comemorado, nesta quinta-feira (29), o segundo aniversário do Centro de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (CAPS-AD III) da Rodoviária. Em dois anos de funcionamento, a unidade atendeu cerca de 700 pacientes.

Segundo o diretor de Saúde Mental da Secretaria de Saúde, Augusto Cesar Faria, a ampliação do número de centros de atenção psicossocial no Distrito Federal é um dos pontos principais do Plano de Enfrentamento ao Crack e outras Drogas, lançado dia 31 de agosto de 2011, na inauguração do CAPS da Rodoviária.

“Em dois anos, conseguimos triplicar o número de serviços na área de saúde mental”, destaca Augusto César. De acordo com ele, Brasília possui 15 CAPS em várias regiões administrativas – nove específicos para o tratamento de dependentes de álcool e drogas.

“O CAPS-AD da Rodoviária oferece atendimento 24 horas a pacientes que fazem uso indevido de álcool, crack e outras drogas, dentro de um plano terapêutico”, informa a gerente do CAPS, Maria do Socorro Paiva Garrido. Segundo ela, a base familiar tem papel fundamental nesse processo.

A programação incluiu apresentação de vídeos sobre o trabalho desenvolvido pelo CAPS e depoimento de usuário do centro. “O CAPS da Rodoviária é o meu lugar, meu porto seguro”, afirmou o paciente Fred, que faz tratamento no local há cerca de dois anos. Segundo ele, no local encontrou o apoio que precisava na luta contra a dependência química.

O coral formado pelos integrantes da oficina de música do CAPS-AD se apresentou. No repertório, a música composta especialmente para o segundo aniversário da unidade pelos pacientes e pelo psicólogo Aristóteles de Oliveira Pereira, o Tóti, que coordena o grupo.

A maioria dos pacientes atendidos no local (60%) é de fora de Brasília; 83% eram do sexo masculino, enquanto 56% eram solteiros. O levantamento revela ainda que 46% eram desempregados e que 56% tiveram o primeiro uso de álcool ou droga entre quatro e 14 anos de idade. Sobre o padrão de uso, 92% são dependentes químicos, com 70% com uso de múltiplas drogas.

O CAPS da Rodoviária é referência para o atendimento de pacientes da Asa Sul, Asa Norte, Lago Sul, Lago Norte, Setor Militar Urbano, Jardim Botânico, Cruzeiro Novo, Cruzeiro Velho, Sudoeste, Octogonal, Varjão, Vila Planalto e Vila Telebrasília.

Os pacientes chegam ao CAPS-AD trazidos pela família, a partir de encaminhamento da rede de serviços setoriais ou por demanda espontânea. No local, são atendidos por uma equipe multiprofissional formada por psiquiatra, clínico geral, psicólogo, assistente social, terapeuta ocupacional, farmacêutico, enfermeiro e técnicos de enfermagem.

Na unidade são oferecidas atividades recreativas, educativas e terapêuticas como oficinas de musica, cidadania e direitos humanos, sexualidade, jogos, artesanato, cultural, preparação para o mercado de trabalho, autonomia, desmistificando preconceito, autocuidado, relaxamento, dentre outras. Também existem no local, grupos de acolhimento, psicoterapia, multifamiliar, tabagismo, redução de danos, prevenção de recaída e roda de terapia comunitária.

Celi Gomes