Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/06/15 às 18h09 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Casos de apendicite são comuns em crianças na primeira infância

COMPARTILHAR

Atendimento qualificado faz a diferença no tratamento da doença

BRASÍLIA (26/6/15) – O número de casos de inflamações agudas no abdômen lidera o ranking de atendimento para intervenção cirúrgica em crianças até 12 anos no Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB). Os casos mais comuns são de apendicite. Com 381 cirurgias registradas apenas em 2014, o HMIB é a referência na rede de saúde pública do Distrito Federal.

Segundo Paulo Lassance, chefe da Unidade de Cirurgia Pediátrica do HMIB, apendicite é o termo médico usado quando o apêndice, tubo longo e fino que se localiza no início do intestino grosso, está obstruído, inflamado e inchado. Quando isso acontece, o órgão pode romper e causar uma infecção abdominal grave. “As crianças em fase de crescimento são mais suscetíveis à apendicite. Isso porque o apêndice está ligado ao sistema imunológico que ainda está em fase de desenvolvimento”, explica Paulo.

Os sintomas diferenciam-se dependendo da idade da criança, mas os mais comuns são: dor de barriga que pode começar ao redor do umbigo e depois passar para o lado direito debaixo ventre, vômitos, febre e perda de apetite. “O principal tratamento para a apendicite é a cirurgia para remover o apêndice. É um quadro grave e precisa de intervenção o mais rápido possível”, ressaltou o Chefe da Unidade de Cirurgia Pediátrica.

Cássia Maria Moura da Silva, 35 anos, moradora de Santa Maria, recorreu ao HMIB para socorrer sua filha Joyceane, 12 anos, que reclamava de dores abdominais. Para Cássia foi fundamental o rápido atendimento, o tratamento da equipe de saúde e a higiene do hospital.

“Achei o atendimento muito bom. Como o caso era grave, suspeita de apendicite, minha filha foi logo internada e operada. A equipe foi atenciosa e carinhosa e achei o hospital bem limpinho”, relata Cássia.