Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/01/19 às 8h55 - Atualizado em 28/01/19 às 9h09

Centro-Sul promove Campanha de Conscientização sobre Hanseníase 

COMPARTILHAR

 

Começa nesta segunda-feira (28) a Campanha de Conscientização sobre a Hanseníase, com ações educativas para a população, realizadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da Região de Saúde Centro-Sul, que engloba Guará, Candangolândia, Núcleo Bandeirante, SIA, Park Way, Estrutural, Riacho Fundo I e II. Diagnóstico, tratamento, prevenção e superação do preconceito em relação à doença serão feitos junto à comunidade até 1° de fevereiro.

 

A iniciativa celebra o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, comemorado no último domingo deste mês, também conhecido como Janeiro Roxo, voltado a alertar sobre a doença.

 

Durante a campanha, haverá banners explicativos nas UBSs, rodas de conversa nos acolhimentos e salas de espera das unidades, além de consultas individualizadas para aqueles com suspeita na detecção da doença, tanto depois da campanha como ao longo do ano.

 

Para mais informações, confira a programação completa em cada uma das UBSs da Região de Saúde Centro-Sul.

 

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO – A diretora de Atenção Primária da Região de Saúde Centro-Sul, Cleunici Godois, reforça que o tratamento e prevenção da hanseníase podem ser feitos em qualquer unidade básica de saúde da rede pública. Contudo, para comodidade do usuário, é aconselhável que as pessoas procurem as UBSs mais próximas de suas residências.

 

“A Atenção Básica é a porta de entrada do sistema, onde os profissionais fazem o acolhimento. Mas eles também fazem o trabalho de tratamento e prevenção, que é parte da carteira de serviços da Atenção Primária. O encaminhamento para o especialista vai depender da situação”, afirmou.

 

A ideia é que somente os casos de maior complexidade e que exigem um acompanhamento por outras especialidades sejam encaminhados à equipe de referência, situada no Núcleo Bandeirante, para dar seguimento.

 

DADOS – Somente em 2018, a Atenção Primária da Região de Saúde Centro-Sul realizou 23 diagnósticos de hanseníase, sendo que, atualmente, 11 estão em acompanhamento, enquanto os demais são atendidos em outras regiões de saúde.

 

Os sinais da doença incluem manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas; pele ressecada, sem suor, queda de pelos ou perda de sensibilidade; sensação de formigamento, dor e sensação de choque, fisgada ou agulhada nos nervos de braços e pernas.

 

“A hanseníase é uma das doenças mais antigas já registradas. Apesar do diagnóstico simples e tratamento gratuito, a falta de informação dificulta o acesso ao tratamento. Por isso a importância de fazer uma campanha a respeito”, conclui a superintendente da região, Moema Campos.

 

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde

Foto: Matheus Oliveira/Arquivo-SES

Arte: Danielle Freire