Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/04/13 às 19h39 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Cobertura da campanha contra HPV já atinge 80% do público-alvo

COMPARTILHAR

Em menos de um mês 55 mil meninas foram imunizadas no DF 

A Campanha de Vacinação contra o HPV, iniciada dia 1º de abril, já imunizou cerca de 55 mil meninas no Distrito Federal. É uma cobertura de quase 80% das estudantes das redes pública e particular de ensino, nascidas em 2000, 2001 e 2002. A meta da Secretaria de Saúde (SES/DF) é imunizar 67 mil meninas até a próxima sexta-feira, dia 3 de maio.

De acordo com o secretário-adjunto de Saúde, Elias Miziara, “as alunas que por algum motivo faltaram no dia vacinação, ainda terão oportunidade de se imunizar até o próximo dia 3”. Segundo o secretário-adjunto, cada regional terá uma estratégia para vacinar as meninas que deixaram de receber a primeira dose.

Samambaia foi a regional que mais vacinou até o momento. Foram 5 mil alunas – uma cobertura de 96%. Para aumentar o número de imunizações, a SES/DF está realizando, desde o começo do ano, uma série de palestras para esclarecer o público alvo e os responsáveis quanto à importância da vacina. O HPV é o principal causador do câncer do colo do útero, uma doença grave responsável pela morte de cerca de 90 mulheres por ano só na capital do País.
Para garantir a efetividade da vacina, é necessária a aplicação de três doses, com intervalos de 60 e 180 dias após a primeira dose. O calendário de vacinação é organizado de acordo com o calendário escolar, respeitando o período das férias. A segunda dose começará a ser aplicada em 3 de junho e seguirá até o dia 28. A terceira dose será aplicada de 30 de setembro a 1º de novembro.

HPV
Os HPVs são vírus capazes de infectar a pele e as mucosas. A transmissão se dá por contato direto com o local infectado, sendo que a principal forma de transmissão é pela via sexual. Quando a infecção persiste, ela pode resultar no desenvolvimento de lesões precursoras, progredindo para o câncer, principalmente no colo do útero, mas também na vagina, vulva, ânus, pênis, orofaringe e boca.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), existem mais de 100 tipos diferentes de HPV, sendo que 40 deles podem infectar o trato ano-genital. Para evitar o surgimento do câncer de colo do útero é importante que as mulheres façam exames preventivos (Papanicolau ou Citopatológico), que podem detectar as lesões precursoras. Quando essas alterações que antecedem o câncer são identificadas e tratadas, é possível prevenir a doença em 100% dos casos.

As lesões clínicas se apresentam como verrugas ou lesões denominadas condilomas acuminados e popularmente chamadas “crista de galo”, “figueira” ou “cavalo de crista”. Têm aspecto de couve-flor e tamanho variável. Nas mulheres, podem aparecer no colo do útero, vagina, vulva, região pubiana, perineal, perianal e ânus. Em homens, podem surgir no pênis (normalmente na glande), bolsa escrotal, região pubiana, perianal e ânus. Essas lesões também podem aparecer na boca e na garganta, em ambos os sexos.

Rafaela Marrocos