Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/08/19 às 11h06 - Atualizado em 28/08/19 às 11h20

Coleta de dados para a Pesquisa Nacional de Saúde é iniciada

COMPARTILHAR

Cidadãos que forem abordados devem responder aos questionamentos

 

Moradores do Distrito Federal e das demais unidades da federação participam, a partir desta semana, da coleta de informações da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). Realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o estudo atingirá 108 mil domicílios em mais de 2 mil municípios do Brasil até fevereiro de 2020. Ele tem o objetivo de investigar a prevalência de doenças crônicas não transmissíveis e quantificar a população com incapacidades físicas.

 

Feita por meio de um convênio com o Ministério da Saúde e em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a pesquisa capta, ainda, outros indicadores importantes relativos aos estilo de vida, como sedentarismo, consumo de álcool, dieta, além de aspectos da saúde bucal.

 

A PNS também investiga se os moradores sofreram algum tipo de violência e monitora a realização de exames preventivos, além de avaliar a percepção da população sobre o Sistema Único de Saúde (SUS). A pesquisa também coleta os dados antropométricos – peso e altura – de um dos moradores dos domicílios visitados, para detectar a incidência de obesidade e estabelecer as medianas de peso e altura da população.

 

A PNS foi a campo pela primeira vez em 2013, mas dá continuidade a um ciclo de investigações realizadas pelo IBGE a cada cinco anos, desde 1998, com os suplementos de saúde da antiga Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD).

 

NOVIDADE A Pesquisa Nacional de Saúde 2019 adicionou novos temas aos que foram investigados na edição de 2013. Uma dessas inovações é o módulo de questões sobre paternidade e exames pré-natal, direcionado aos homens.

 

A PNS 2019 trará um módulo sobre atividade sexual, que será aplicado aos moradores maiores de 18 anos. Há perguntas sobre o uso de preservativos e a idade em que a pessoa teve sua primeira relação.

 

Outro módulo novo será o das Relações e Condições de Trabalho, que segue as recomendações da OIT, com perguntas para detectar condições insalubres no ambiente de trabalho, além de problemas de saúde relacionados.

 

A PNS continua a investigar se os moradores sofreram algum tipo de violência, em que local e quem era o agressor, mas a edição 2019 incluirá questões novas, para detalhar a natureza dessa violência (física, sexual ou psicológica).

 

Já o módulo de atenção básica à saúde foi estendido e terá uma série de perguntas sobre a utilização do Sistema Único de Saúde (SUS). As respostas irão compor um indicador que permitirá uma avaliação mais detalhada do atendimento recebido pelos entrevistados.

 

A primeira parte do questionário da PNS 2019 captará informações de todos os moradores. Na segunda parte, um morador de 15 anos ou mais de idade será selecionado para responder um conjunto específico de perguntas e ter seus dados antropométricos coletados.

 

A previsão é que a pesquisa seja realizada a cada cinco anos, com detalhamento nos níveis Brasil, grandes regiões, unidades da federação, regiões metropolitanas que contenham os municípios das capitais e municípios das capitais.

 

É importante ressaltar que todas as informações coletadas pela PNS têm sua confidencialidade garantida pela lei do sigilo da informação estatística (Lei nº5534) e só podem ser utilizadas para fins estatísticos.

 

Os agentes de pesquisa do IBGE estarão identificados com o crachá e usarão equipamento eletrônico de coleta de dados (computador de mão). Os moradores poderão confirmar a identidade do entrevistador em ligação telefônica gratuita para 0800-721-8181.

 

Da Agência Saúde, com informações do IBGE.