Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/05/17 às 18h16 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Começam as conferências regionais para debater Saúde das Mulheres

COMPARTILHAR

Encontros ocorrerão em todas as regiões de saúde

BRASÍLIA (17/5/17) – O fortalecimento das políticas públicas para a população feminina foi o foco do debate da primeira Conferência Regional de Saúde das Mulheres, realizada na Região Sudoeste, nesta quinta-feira (17), em Taguatinga. Com a participação de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), trabalhadores e gestores, a temática principal do evento é Desafios para a integralidade com equidade.

O evento marca o início de uma série de sete encontros que serão realizados em todas as regiões de saúde para eleger propostas a serem apresentadas na Conferência Distrital de Saúde das Mulheres, que ocorrerá nos dias 30 de junho e 1º de julho e, posteriormente, no evento nacional.

“Essa é uma conquista que está saindo do papel e que é extremamente importante para elaborar propostas capazes de trazer equidade. Para a saúde da mulher, não basta curar doenças, mas precisamos oferecer todas as estruturas necessárias para ter saúde”, ressaltou a chefe da assessoria de Gestão Participativa e Relações Institucionais, Danielle Cavalcante, que representou o secretário de Saúde, Humberto Fonseca.

“A mulher gerencia toda a saúde de uma casa, porque cuida dos maridos e dos filhos. Precisamos discutir políticas para essas mulheres, que não são mais apenas donas de casa, mas que também trabalham fora”, complementou a secretária executiva do Conselho de Saúde do DF, Lucilene Úrsula Loriato Morelo.

No evento, serão tratados quatro eixos: O papel do estado no desenvolvimento socioeconômico e ambiental e seu reflexo na vida das mulheres; O mundo do trabalho e suas consequências na saúde das mulheres; Vulnerabilidades nos ciclos de vida das mulheres na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres; e Políticas públicas para mulheres e participação social.

“A conferência é uma oportunidade para que as mulheres avaliem as políticas públicas do SUS. Mais de dois terços da força de trabalho do SUS são constituídos por mulheres e esse debate é importante tanto para aquelas que trabalham nesse sistema, quanto para as demais que utilizam os serviços”, destacou o presidente do Conselho de Saúde, Helvécio Ferreira.

“A mulher precisa de amparo, porque é mãe, esposa e trabalhadora e tem jornada dupla”, complementou a representante do segmento usuário do Recanto das Emas, Maria José da Silva, 67 anos.

CONFERÊNCIAS – O evento é convocado pelo Ministério da Saúde e Conselho Nacional de Saúde. No Brasil, apenas uma conferência com essa temática foi realizada há mais de 30 anos. Cada uma das sete regiões de saúde vai elaborar 12 propostas com políticas para o DF ou de aplicação nacional que serão apresentadas na Conferência Distrital de Saúde das Mulheres.

Nos encontros, que precisam ter público mínimo de 60% de mulheres, serão eleitas delegadas, sendo 50% delas usuárias, 25% gestoras e 25% trabalhadoras. Na região Sudoeste, serão eleitas até o fim do desta quarta-feira (17) 40 delegadas.

No total, são 192 delegadas eleitas nas regiões e outras 28 membros natos do Conselho de Saúde do DF, totalizando 220 delegadas. O quantitativo de representantes depende do número de habitantes de cada região. “Das 220 delegadas, 36 serão eleitas para participarem da Conferência Nacional”, complementou Úrsula.

Confira as fotos aqui.

Baixe o material de divulgação:

Cartaz da Conferência de Saúde da Mulher do DF
Arte para Whatsapp da Conferência de Saúde da Mulher do DF
Arte para Whatsapp – Região Sul
Arte para Whatsapp – Região Centro Sul
Arte para Whatsapp – Região Centro Norte
Arte para Whatsapp – Região Leste
Arte para Whatsapp – Região Sudoeste
Arte para Whatsapp – Região Oeste
Arte para Whatsapp – Região Norte