Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/09/15 às 19h27 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Começam as obras do II bloco do Hospital da Criança

COMPARTILHAR

Uma cápsula do tempo, com as memórias sobre a unidade, será aberta em 50 anos

BRASÍLIA (9/9/15) – O início das obras para erguer o segundo bloco do Hospital da Criança de Brasília José Alencar, que terá 202 leitos para internação, foi marcado, nesta quarta-feira (9), com o armazenamento de memórias em uma cápsula do tempo. O objeto foi enterrado com documentos e cartas de pacientes, autoridades, e servidores da unidade, em um espaço onde futuramente será plantado um jardim.

A obra, que deverá ficar pronta até dezembro de 2016, recebeu um investimento de R$ 82 milhões do governo de Brasília (o que corresponde a 80,2% do total do valor), e U$10,5 milhões da Organização Mundial da Família, ligada a Organização das Nações Unidas (ONU).

“A construção dessa segunda parte do hospital representa a esperança para as crianças, porque muitas já passaram ou ainda virão até aqui para vencer desafios e levar uma vida normal”, destacou o governador Rodrigo Rollemberg, acompanhado da mulher, Márcia Rollemberg.

“Daqui a 50 anos, provavelmente, não estaremos vivos, mas a minha esperança é de que alguma criança que está sendo tratada pela equipe desta unidade possa retornar com os seus filhos para testemunhar o que foi feito”, complementou o secretário de Saúde, Fábio Gondim, que também fez uma carta para colocar na cápsula, assim como o governador.

A presidente da OMF, Dayse Kusztra, reconheceu o empenho dos funcionários para o sucesso dos serviços prestados pela unidade, inaugurada em 2011. “Tenho visto o trabalho que vem sendo feito e a força de vontade das equipes para dar atendimento a cada criança que precisa de tratamento. A ampliação irá permitir que cada paciente e suas famílias tenham o apoio de um quarto de internação pelo tempo que for necessário”, enfatizou, ao lembrar que a cápsula do tempo servirá para contar a história de luta da unidade.

Para a presidente da Abrace, Ilda Pelez, a expansão do hospital representa a melhoria do atendimento. “Estamos realizando um sonho da Abrace que está completando quase 30 anos. Esse hospital nasceu da luta de mães que tiveram filhos com câncer, e buscavam um atendimento qualificado, essa obra representa a qualificação dos serviços”, destacou.

ESTRUTURA – O bloco II do hospital terá 22 mil metros quadrados, ou seja, o triplo do bloco I, que possui 7 mil metros quadrados. Com os 202 novos leitos, dos quais 38 serão de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 164 para internação, as crianças poderão receber todo o tratamento na própria unidade. Atualmente, são apenas 22 leitos e o serviço funciona como hospital dia, ou seja, as crianças só podem permanecer por curtos períodos e, ao necessitar de longas permanências, são transferidas para outras unidades.

Com o novo bloco, o DF será referência no Centro-Oeste em transplantes infantis, tratamento de hemopatias (doenças do sangue) e câncer. Além disso, os 164 leitos para a internação representam um aumento de 28% no número de vagas em toda a rede. Já os 38 leitos de UTI pediátrico significam um salto de 59%, já que atualmente a rede só possui 64 vagas.

HISTÓRIA – O Hospital da Criança foi construído em parceria com a Abrace ao custo de R$ 15 milhões e inaugurado em 23 de novembro de 2011. No local, são oferecidos, às crianças e adolescentes, consultas, cirurgias ambulatoriais, diagnóstico básico e por imagem, quimioterapias, diálise peritoneal, hemodiálise, entre outros procedimentos.

De acordo com os dados, no segundo semestre deste ano, foram realizadas 6.163 consultas especializadas; 5.638 atendimentos de assistência complementar (fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicologia); 1.375 exames de bioimagem; 70 cirurgias em regime de Hospital Dia. A satisfação dos usuários foi de 98,70%.

“Esse é um sonho e hoje estamos dando mais um passo extremamente importante, com a parceria do governo de Brasília e OMF. Aqui, já passamos por diversas dificuldades, mas que foram superadas graças ao trabalho conjunto”, finalizou o superintende da unidade, Renilson Rehem.

Galeria de fotos