Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/03/13 às 18h50 - Atualizado em 30/10/18 às 14h58

Comemoração do milésimo parto em São Sebastião

COMPARTILHAR

Brazlândia e Riacho Fundo também terão Casas de Parto

São Sebastião amanheceu em festa. A população e a coordenação de saúde da cidade comemoraram nessa quinta-feira (14) os 1.000 nascimentos realizados na Casa de Parto. O secretário de Saúde, Rafael Barbosa, além de entidades de classe, líderes comunitários, coordenadores de saúde, representantes da administração da cidade, servidores e população em geral participaram da homenagem às mulheres da comunidade.

O secretário de Saúde destacou o empenho do Ministério da Saúde na implantação deste modelo de atendimento ao parto normal e natural em todo país, com vistas a diminuir as cesareanas, que chegam a 70% do total de partos no Brasil.

“A Casa de Parto de São Sebastião é um modelo que será levado a outras cidades do Distrito Federal. Brazlândia e Riacho Fundo são as próximas cidades na lista para implantação deste modelo de atendimento, levando em conta a experiência desenvolvida aqui em São Sebastião”, disse Rafael Barbosa. O secretário lembrou, ainda, que a Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde – Fepecs – é responsável pela preparação de enfermeiros obstetras para atuar na Casa de Parto.

O representante da Organização Pan Americana de Saúde/OPAS, Rodolfo Gomes, falou da importância do parto normal para as mulheres e como uma das prioridades para a OPAS. “Cada nascimento é uma celebração, quando a fisiologia da mulher é respeitada”, afirma.

Ao agradecer a toda a equipe de saúde da Regional de São Sebastião e em especial a equipe da Casa de Parto, o coordenador regional, Marcus Costa, falou da “vitória, que é contar com um serviço de qualidade na cidade e de como é bom fazer parte de um governo que se preocupa com a saúde do povo. “Só assim através de novos caminhos, de grandes transformações é que se pode trazer humanização para a vida das pessoas que utilizam a saúde pública no DF”. destacou.

Já a coordenadora da Casa de Parto, Jussara Vieira, disse esperar continuar oferecendo a todas as mulheres que procuram um parto normal e natural. “A Casa de Parto de São Sebastião está aberta à comunidade. É com alegria que comemoramos hoje os 1000 nascimentos aqui”, disse a coordenadora.
Para a mãe do milésimo bebê, Michele Miranda,” ter minha filha aqui, foi muito bom. Foi rápido e fui bem acolhida. Estou muito satisfeita com o atendimento recebido, quero agradecer a todos da equipe de saúde, o carinho com que fomos tratadas, eu e minha filha Rayahne.”

A casa de Parto realiza um serviço de parto humanizado, trazendo estabilidade emocional e tranqüilidade, para as parturientes que ainda podem contar com um familiar ao seu lado na hora de dar a luz. O parto humanizado é um direito de todas as mulheres. O modelo implementado na Casa de Parto atende a portaria n° 985/99 do Ministério da Saúde, que institui Centros de Partos Normais e determina suas diretrizes de funcionamento.

A Casa nasceu em 2009, funciona 24 horas por dia e é composta por enfermeiros obstetras e técnicos de enfermagem, que oferecem acompanhamento e assistência em tempo integral. A unidade acolhe, avalia e orienta todas as gestantes, parturientes e puérperas que procuram o serviço. Os casos que não se adequam ao atendimento pelo enfermeiro obstetra são encaminhados para o Hospital Regional do Paranoá – referência mais próxima, ou para uma Unidade Básica de Saúde (UBS).

O parto neste serviço é indicado apenas para mulheres com gravidez de baixo risco, que não passam por procedimentos cirúrgicos ou intervenções médicas para dar à luz. Para serem atendidas no local, as mães precisam ter feito o pré-natal completo de, no mínimo, seis consultas, nunca ter passado por uma cesariana e não apresentar indicativo de gravidez de risco, como por exemplo, pressão alta e outras doenças.

O serviço traz benefícios como estabilidade emocional e tranquilidade, uma vez que a paciente terá uma pessoa da família ao seu lado. Além disso, desde o nascimento o bebê já fica junto à mãe.

Marina Ávila