Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/06/20 às 11h51 - Atualizado em 23/06/20 às 11h51

Conheça a história da Farmácia Viva do Centro de Práticas Integrativas – CERPIS em Planaltina

COMPARTILHAR

Conheça mais sobre a trajetória da Farmácia Viva

 

A prática da fitoterapia na Região de Saúde Norte teve origem em 1983, com o plantio, ao lado do Hospital Regional de Planaltina, de um canteiro de plantas medicinais oriundas da coleção do professor de agronomia Jean Kleber, da Universidade de Brasília, e os cuidados de um raizeiro e técnico agrícola do interior da Bahia, o Sr. Reinaldo Lordelo.

 

Desse modo, desde o seu início, a ciência e o conhecimento popular estiveram sempre presentes. Tanto a comunidade como os profissionais de saúde participaram com a difusão dos conhecimentos e com o uso das plantas medicinais, inclusive com produção de mudas para o plantio comunitário.

 

A fitoterapia desenvolveu-se com a participação popular e a ampliação dos canteiros, e resultou na constituição de uma unidade de saúde, vinculada ao hospital, para ofertar também outras Práticas Integrativas em Saúde (PIS), como a homeopatia, acupuntura e automassagem. Em 1995, construiu-se um laboratório para manipulação das plantas medicinais e iniciou-se a produção e distribuição de fitoterápicos.

 

As escolas de Planaltina e do entorno passaram a buscar informações sobre as plantas medicinais e outras PIS para trabalhos científicos, criação de hortos escolares, assim como, para visitas guiadas pelos canteiros. Prática que perdura até os dias atuais, inclusive, como cenário para vistas, estágios e pesquisas para instituições de ensino de todos os níveis.

 

Em 1999, a unidade de saúde foi oficializada pela Lei nº 2.400 do Governo do Distrito Federal. Hoje, o Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde (CERPIS) é uma Unidade Básica de Práticas Integrativas e Promoção da Saúde (UBS PIS) e possui o Núcleo de Farmácia de Manipulação de Planaltina (NUFAR) – Farmácia Viva do CERPIS –, vinculados administrativamente à Diretoria de Atenção Primária da Região de Saúde Norte. Conta com o apoio do Conselho de Saúde de Planaltina e é sempre referendado pelas Conferências de Saúde.

 

A Farmácia Viva do CERPIS, em 2018, mediante o Projeto Roda de Conversa sobre Fitoterapia e Plantas Medicinais, foi premiada no 1º Prêmio Saúde Cidadã, promovido pela SES/DF em parceria com a Controladoria Geral do Distrito Federal, com o objetivo de auxiliar o fortalecimento e a difusão da Estratégia Saúde da Família (ESF), por meio da valorização de experiências socialmente inovadoras e colaborativas entre trabalhadores e usuários.

 

O projeto da Farmácia Viva ficou em 3º lugar. A premiação se deu por meio de empenho para manutenção do laboratório de fitoterapia e da incubação do projeto, que consiste no processo de estudo, fortalecimento, instrumentalização e replicação da iniciativa.

 

A Farmácia Viva do CERPIS desenvolve as seguintes atividades:

1. Cultivo e fornecimento de mudas de plantas diretamente para a população e para fomento de hortos medicinais em unidades de saúde, escolas e instituições afins;
2. Produção e fornecimento de fitoterápicos oficinais, padronizados pelo Formulário Fitoterápico da Farmacopeia Brasileira (ANVISA), no contexto da assistência farmacêutica da Região de Saúde Norte.
3. Fornecimento de plantas medicinais in natura para preparações caseiras, juntamente com educação em saúde para o seu uso correto.
4. Rodas de Conversa e oficinas de promoção do uso racional de plantas medicinais e remédios caseiros no CERPIS e em outras unidades de saúde, nas escolas e na comunidade em geral.
5. Cenário de formação e pesquisas científicas sobre plantas medicinais e fitoterapia para estudantes dos níveis fundamental, médio, técnico, superior e de pós-graduação.
7. Cuidado Farmacêutico em Fitoterapia (Consultório Farmacêutico), pioneiro na SES-DF.
8. Matriciamento de equipes de saúde em plantas medicinais e fitoterapia.