Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/05/15 às 21h21 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Conselho de Saúde discute a consolidação do SUS no DF

COMPARTILHAR

Objetivo é contribuir com a Secretaria de Saúde na elaboração de uma nova política pública

BRASÍLIA (12/5/15) – O Conselho de Saúde do Distrito Federal deu início nesta terça-feira (12) a uma série de encontros para discutir a consolidação do Sistema Único de Saúde (SUS) no DF. O objetivo é contribuir com a Secretaria de Saúde na elaboração de uma nova política pública de saúde que garanta gratuidade e eficiência no atendimento ao usuário.

“Esse será um importante momento para debater temas relevantes para a política de saúde do Distrito Federal e fortalecer o SUS no DF”, disse o secretário de Saúde, João Batista de Sousa, membro do conselho e anfitrião do encontro que acontece na Secretaria de Saúde.

Na pauta estão temas como reconstrução do modelo de assistência, planejamento, financiamento e logística. “Aqui precisa ficar bem claro quais são as ferramentas e instrumentos de gestão disponíveis. Também precisa ficar claro para o usuário qual é a rede e os níveis de atenção que ele tem acesso”, destacou o presidente do Conselho de Saúde, Helvécio Ferreira.

GESTÃO – O primeiro tema debatido foi a gestão de recursos humanos. Técnicos da Secretaria de Saúde apresentaram o sistema de informação e monitoramento de capital humano para o dimensionamento da força de trabalho da SES.

A ideia é que a plataforma contenha as informações detalhadas de toda a rede, divididas por região, onde será possível obter informações sobre o perfil da população local; regional de saúde, onde há dados sobre todas as unidades de saúde da região com número de leitos e profissionais lotados; força de trabalho; perfil dos servidores, onde estarão cadastrados os interesses de os profissionais em fazer hora extra, alteração de regime de trabalho e restrições médicas; monitoramento e dimensionamento dos servidores, que totalizam 32,1 mil, segundo levantamento feito na última segunda-feira (11).

“No item perfil dos servidores, por exemplo, podemos ter mais facilidade para identificar profissionais interessados em mudar de local de trabalho ou fazer horas extras”, explicou a servidora que trabalha no projeto, Marineusa Bueno. “Avaliando o sistema, podemos saber exatamente onde precisamos de profissionais e onde podemos remanejar para equilibrar os serviços e assistir a população”, completou.

IMPLANTAÇÃO – Para implementação do sistema, a secretaria está coletando dados em todas as regionais, trabalho que já foi finalizado nas unidades de saúde da região sudoeste. Um exemplo é Taguatinga, que possui 2.973 servidores. “Com o perfil pronto desses profissionais, já constatamos que 979 irão se aposentar e temos que nos planejar para isso”, elencou Marineusa Bueno.

A servidora destacou, ainda, que é possível dimensionar a quantidade de médicos por grupo de mil habitantes. Em Taguatinga, onde a população totaliza 361 mil habitantes, o índice chega a 1,3 médicos por grupo de mil habitantes. Já em Samambaia é de 2,06 e Recanto das Emas 0,4.

Outra ação apresentada pela pasta foi o melhoramento do sistema de captação de informações Track (sistema unificado de informações da saúde), que está sendo aperfeiçoado para aumentar o controle sobre o ponto dos servidores. Com isso, é possível saber em tempo real a hora em que os profissionais entram e saem, onde prestam os serviços, quantos pacientes atenderam, entre outras informações.

Ao final da reunião, os conselheiros parabenizaram o trabalho, mas questionaram se os parâmetros utilizados para o banco de dados tomou como base a realidade das unidades, funcionários em desvio de função, sobrecarga dos profissionais e falta de pediatras.

Em resposta, o secretário adjunto, Rubens Iglesias, esclareceu que o levantamento de dados para construção do sistema foi feito pessoalmente nas unidades. “Nós estamos tomando providências, mas infelizmente as coisas não ocorrem na velocidade em que a população precisa”, disse Iglesias.

CRONOGRAMA – Para esta quarta-feira (13), o segundo assunto discutido será reestruturação do modelo de assistência da Secretaria de Saúde.  Os eixos discutidos nas próximas reuniões são gestão, planejamento e financiamento; assistência farmacêutica; vigilância à saúde e infraestrutura. As datas prevista para os encontros são 26 e 27 de maio e 9 e 10 de junho.

A partir das deliberações, será elaborado um documento a ser apresentado pelo Distrito Federal na 9º Conferência de Saúde, nos dias 20 e 21de julho, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. O evento dará continuidade às discussões sobre o aperfeiçoamento no SUS e contará com a participação dos movimentos sociais, gestores e autoridades.