Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/09/17 às 10h39 - Atualizado em 23/02/18 às 18h58

Cuidados Paliativos

COMPARTILHAR

O programa de Cuidados Paliativos tem como principal objetivo promover a qualidade de vida dos pacientes, principalmente do paciente oncológico que se encontra em fase avançada da doença e em que não há previsão de reverter o quadro. O serviço é oferecido pela rede pública no Hospital de Base, em atendimento ambulatorial. Hospital da criança com ambulatório de visita domiciliar e, de Apoio, que além das consultas ambulatoriais é o único que oferece internação.

 

A assistência é multiprofissional e conta com médicos, enfermeiros, psicóloga, assistente social, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, acupunturista, técnicos de enfermagem e nutricionista. No DF, esse tipo de assistência multidisciplinar é oferecido a pacientes oncológicos nos hospitais de Apoio, Base e da Criança, além dos Núcleos Regionais de Atenção Domiciliar (NRADs). Além disso, há equipes de voluntários que também são considerados membros da equipe e ajudam pacientes e familiares de várias maneiras. Dentre eles há voluntários dedicados à assistência espiritual de diferentes religiões.

 

As equipes cuidam do paciente e da família nas suas necessidades físicas, emocionais, psicológicas, sociais e espirituais. Uma proposta da integralidade do ser que sofre. Dessa maneira, não fica só focado na parte física, mas sim no conceito de que é uma pessoa em toda a sua complexidade. Trabalha, principalmente, para que o paciente possa estar o maior tempo possível em casa. Quando os doentes entram num quadro de maior complexidade, são encaminhados para a internação no Hospital de Apoio, o único do DF que possui uma ala específica com leitos em Cuidados Paliativos Oncológicos.

 

Os princípios dos Cuidados Paliativos são:

 

· Fornecer alívio para dor e outros sintomas estressantes como astenia, anorexia, dispnéia e outras emergências oncológicas.
· Reafirmar vida e a morte como processos naturais.
· Integrar os aspectos psicológicos, sociais e espirituais ao aspecto clínico de cuidado do paciente.
· Não apressar ou adiar a morte.
· Oferecer um sistema de apoio para ajudar a família a lidar com a doença do paciente, em seu próprio ambiente.
· Oferecer um sistema de suporte para ajudar os pacientes a viverem o mais ativamente possível até sua morte.
· Usar uma abordagem interdisciplinar para acessar necessidades clínicas e psicossociais dos pacientes e suas famílias, incluindo aconselhamento e suporte ao luto.

 


 

Núcleo de Cuidados Paliativos

Contatos: 3348-6237

Endereço:

E-mail:gecandf@gmail.com