Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/06/14 às 18h34 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

DF ganha unidade de referência para transplante de medula óssea

COMPARTILHAR

Objetivo é diminuir a fila para o procedimento em todo o país

 

Pacientes com indicação para o Transplante de Medula Óssea (TMO) do DF e do Brasil passam a contar com uma unidade de referência no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF). Com aproximadamente 1.100m², a “Unidade Pietro Albuquerque” foi inaugurada nesta terça-feira (18), pelo governador Agnelo Queiroz. Em todo o país, 1.226 pessoas aguardam pelo procedimento e na capital federal, 24 pacientes estão na lista de espera.

O governador Agnelo Queiroz enfatizou que o DF é referência em transplantes no Brasil. Em 2013, foram realizados 575 transplantes, sendo 115 de rim, 53 de fígado, 30 de coração, dois de pulmão, 359 de córnea e 16 de medula. “Essa unidade atenderá a população do DF e de boa parte do Brasil. Com isso, vamos diminuir as filas para o transplante de medula óssea e ampliar o número de doadores. Há três anos, o DF sequer era credenciado pelo Ministério da Saúde para fazer transplantes”, disse.

A nova unidade conta com a atuação de médicos hematologistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos, entre outros. O serviço possui 27 leitos de internação, 12 leitos de hospital dia (serviços de internação parcial), consultório, coleta de células-tronco e sala de apoio aos acompanhantes, o que possibilita um atendimento privativo, seguro e especialmente destinado ao tratamento desses pacientes.

Desde que passou a funcionar em novembro de 2013 até junho desse ano, a unidade de TMO do ICDF realizou 17 transplantes de medula óssea, todos autólogos (as células transplantadas são do próprio paciente). Com a inauguração do novo espaço, a previsão é dar início ao atendimento de pacientes para o transplante halogênico (quando as células transplantadas são de um doador, que pode ser um irmão ou irmã do paciente com composição genética similar, ou o doador não aparentado, mas sendo geneticamente semelhante).

O Brasil possui hoje o terceiro maior banco de doadores de medula óssea do mundo, são poucos mais de dois milhões de cadastrados, e mesmo com esse volume, ainda é um desafio à doação, pois existem poucos doadores compatíveis. A abertura da nova unidade no ICDF aumenta ainda mais a probabilidade de se encontrar um doador compatível.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, esteve presente na solenidade e destacou que o DF é o primeiro da Região Centro-Oeste a ter capacidade para oferecer esse procedimento. “São 12 estados do país e agora o DF com serviços implantados que contam com estrutura, leitos e equipe qualificada para fazer o transplante de medula óssea“, afirmou.

Segundo o ministro, entre 2011 e 2013, houve um aumento de 24% do número de transplantes de medula óssea, com 2.113 transplantes realizados no ano passado. “Precisamos aproveitar a inauguração de serviços como esse para fortalecer, cada vez mais, o nosso Sistema Nacional de Transplantes (SNT)”, complementou.

Homenagem

Pietro Albuquerque, vítima de leucemia mieloide aguda, faleceu poucos dias antes de completar 20 anos. O fato ficou marcado na história com uma homenagem da Câmara Federal que reconheceu sua luta pela vida ao aprovar a “Lei Pietro” (Lei nº11.930). O texto estabelece a “Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea”, de 14 a 21 de dezembro, que tem como objetivo o esclarecimento, bem como a mobilização do doador voluntário, cuja compatibilidade sanguínea permite ser doador de medula óssea, em vida, sem prejuízo à saúde.

Seja doador

Para ser um doador de medula óssea é preciso comparecer à Fundação Hemocentro de Brasília (FHB) com CPF e documento de identidade para coletar 10 ml de sangue. Após análise, o material é encaminhado ao banco de dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) e inserido no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome).

Os resultados das informações sanguíneas cruzam com o Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (REREME) para busca de receptor compatível.

Serviço
Endereço Hemocentro: SMHN Q. 3 Conjunto A Bloco 3 – Asa Norte
Telefone: 160 opção 2

Patrícia Kavamoto, da Agência Saúde DF