Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/01/20 às 13h30 - Atualizado em 9/01/20 às 15h39

DF participará de pesquisa relacionada a doenças crônicas

COMPARTILHAR

Realizada pelo Ministério da Saúde, Vigitel 2020 fará contato telefônico com números selecionados

 

Moradores do Distrito Federal poderão ser selecionados para responder à pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico, a Vigitel 2020, realizada todos os anos pelo Ministério da Saúde. Ela mede os fatores de risco e de proteção para doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, cânceres, obesidade, doenças respiratórias e relacionadas ao coração, principais causas de mortes no país.

 

Banco de Imagens

Na última pesquisa divulgada, realizada em 2018, foram entrevistadas 2.092 pessoas no Distrito Federal. A expectativa do Ministério da Saúde é ouvir cerca de 27 mil pessoas em todo o país somente no primeiro semestre deste ano.

 

A participação na pesquisa é voluntária. Contudo, o órgão federal  destaca que é importante a participação dos entrevistados selecionados para que seja possível conhecer o retrato da saúde no país e para o planejamento e monitoramento das ações e políticas públicas de cuidado à saúde dos brasileiros.

 

O tempo médio para responder ao questionário é de cerca de 12 minutos. As ligações serão feitas das 9h às 21h nos dias da semana, e das 10 às 16h aos sábados, domingos e feriados. Quem atender a ligação precisa informar a quantidade de moradores acima de 18 anos da residência, além da idade e do sexo. A partir dessas informações, os resultados da pesquisa poderão representar os hábitos de vida de toda a população adulta das capitais brasileiras.

 

Durante o inquérito telefônico, não será perguntada qualquer informação relacionada a documentos pessoais ou dados bancários. As únicas informações pessoais obtidas por meio da pesquisa dizem respeito à idade, sexo, escolaridade, estado civil e raça/cor, uma vez que permitem que os resultados reflitam a distribuição sociodemográfica da população total.

 

A escolha dos participantes será feita mediante sorteio de números de telefones ativos e não comerciais.

 

VIGITEL – A pesquisa Vigitel 2018, última divulgada pelo Ministério da Saúde, apontou aumento da obesidade no Brasil de 67,8% nos últimos 13 anos, saindo de 11,8%, em 2006, para 19,8%, em 2018. O Vigitel também demonstrou crescimento considerável de excesso de peso entre a população brasileira. No Brasil, mais da metade da população, 55,7% tem excesso de peso. Um aumento de 30,8% quando comparado com percentual de 42,6% registrado no ano de 2006.

 

Matheus Oliveira/ Arquivo Saúde-DF

No Distrito Federal, a pesquisa apontou que 51,6% dos entrevistados estavam acima do peso e outros 18% já estavam obesos.

 

A pesquisa também apontou que em 2018 foram registradas 12.438 internações no SUS por obesidade, ocupando o quarto lugar entre as internações por causas endócrinas, nutricionais e metabólicas, totalizando R$ 64,3 milhões aos cofres públicos do país.

 

Agência Saúde, com informações do Ministério da Saúde