Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/05/19 às 15h52 - Atualizado em 30/05/19 às 16h01

Educação é a ferramenta utilizada para prevenir abusos sexuais de menores

COMPARTILHAR

 

Atividade em Samambaia reuniu crianças e adolescentes de área de vulnerabilidade social

 

Combater e enfrentar o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes é uma preocupação constante na saúde pública. Com foco na prevenção, uma ação educativa reuniu, nesta quarta-feira (29), no Complexo Cultural de Samambaia, 325 crianças e adolescentes de três escolas localizadas em área de alta vulnerabilidade da região administrativa.

 

Profissionais da rede pública de saúde se uniram a outros órgãos e instituições para orientar crianças e adolescentes sobre os abusos, através de atividades lúdicas, como contação de histórias, apresentação cultural e oficinas.

 

“Quando trabalhamos a questão de prevenção, orientamos que a criança tenha sempre um adulto em que possa confiar para contar qualquer tipo de segredo, pois muitos abusadores fazem um pacto de silêncio com a criança”, explica a assistente social, Élyda Kate Moura.

 

A assistente social faz parte do NASF-AB, que são os Núcleos Ampliados de Saúde da Família e Atenção Básica, das unidades 3 e 5 de Samambaia. Eles representaram a Secretaria de Saúde na realização do evento, organizado pela Rede Social de Samambaia.

 

Para Élyda, “essa grande mobilização social, da qual a saúde pôde fazer parte, busca difundir o conhecimento e a informação para incentivar o rompimento com o muro do silêncio, ampliação das denúncias e a prevenção dos casos de violência sexual contra crianças. Quanto mais a sociedade estiver engajada, mais proteção haverá para as crianças e adolescentes”.

 

A assistente social ressalta que a saúde pública atua em várias frentes para prevenir, combater e dar assistência a quem precisar. A porta de entrada é a unidade básica de saúde, mas também há os hospitais, Adolescentro e o Programa de Atenção à Vítima de Violência.

 

 Josiane Canterle, da Agência Saúde