Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/03/15 às 11h30 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Enfermeiros do HRC participam de curso pioneiro

COMPARTILHAR

O objetivo é sistematizar a assistência da enfermagem

BRASÍLIA (30/3/15) – Enfermeiros do Hospital Regional de Ceilândia (HRC) participarão até julho, do curso de Sistematização da Assistência em Enfermagem (SAE), numa parceria entre a Secretaria de Saúde do DF e Universidade de Brasília (UNB).

Segundo a gerente de enfermagem da coordenação geral de saúde de Ceilândia, Lurdes Granja, o curso é uma iniciativa pioneira na Secretaria de Saúde, pois envolverá toda a equipe do Hospital. “Oferecemos 66 vagas para os enfermeiros das clínicas Médica, Cirúrgica, Ortopédica, Pediatria, Maternidade, Unidade de Terapia Intensiva Adulta, Centro Obstétrico e Pronto Socorro, divididas em duas turmas, com encontros mensais e os profissionais que fizerem o curso estarão aptos a planejar a assistência e programar ações que imprimam segurança e efetividade ao cuidado prestado, tanto para a equipe quanto para o usuário”, declara a gerente.

“A sistematização da assistência da enfermagem é uma metodologia científica, onde o profissional poderá aplicar seus conhecimentos técnico-científicos e humanos na assistência aos pacientes, organizando o trabalho, tornando possível a operacionalização do processo, orientando o cuidado profissional e a documentação da prática profissional”, informa a enfermeira Nayara Lisboa, responsável pelo curso no HRC.

As aulas começaram na última quinta-feira (26), são ministradas por professores da UnB – Campus Ceilândia e abordam teorias de enfermagem, elaboração e discussão de diagnósticos, planejamento, implementação de ações para melhoria na qualidade da assistência, entre outros assuntos.

Nayara Lisboa diz que a iniciativa do curso de SAE surgiu porque “vivencia-se uma assistência fragmentada e generalizada, sem que sejam levadas em consideração as necessidades individuais de cada paciente. No final do curso os enfermeiros estarão capacitados a aplicar a sistematização no seu campo de atuação, baseado no raciocínio clínico e em uma estrutura teórica de enfermagem que fortalecerá a prática profissional”, ressalta a enfermeira.