Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/10/15 às 17h02 - Atualizado em 30/10/18 às 15h13

Exposição sobre parto chega a Brasília

COMPARTILHAR

Na mostra Sentidos no Nascer os visitantes poderão experimentar o início da vida e simular uma gestação

BRASÍLIA (8/10/15) – Simular as 40 semanas de gestação e saber como é o trabalho de um parto normal são experiências que poderão ser vivenciadas na exposição 'Sentidos do Nascer', que será aberta nesta sexta-feira (9), em Ceilândia. A mostra interativa e sensorial, promovida pela parceria entre o Ministério da Saúde e a Secretaria de Saúde, é gratuita e conta com cinco ambientes, sendo um com TV para os participantes se verem grávidos em imagem 3D.

A exposição já passou pelo Rio de Janeiro e Belo Horizonte e, no Distrito Federal, ficará primeiro na Praça Central da Ceilândia, depois Conjunto Nacional e Centro de Convenções (confira o cronograma abaixo). A ideia é valorizar o parto normal, já que a Organização Mundial da Saúde recomenda que apenas 15% dos nascimentos sejam cesáreos e, no Brasil, o número é de 56%, o que aumenta as taxas de prematuridade e riscos.

“A exposição foi muito bem recebida nos outros dois estados e em Brasília não será diferente. Mostraremos para a população os sentidos do parto, para que esse momento seja aproveitado pela mulher e pela família. Queremos a valorização das boas práticas obstétricas e neonatais e fortalecer o nascimento de forma humanizada”, destacou o gerente de Ciclos de Vida e coordenador da Rede Cegonha no DF, Ricardo Aguiar.

Durante a exposição, será divulgado o programa federal Rede Cegonha, aderido desde 2011 pelo Distrito Federal para promover o parto humanizado, o pré-natal, o nascimento saudável e o cuidado integral com a saúde da criança.

“A ação preza por itens como o contato entre a mãe e o bebê após o nascimento; o clampeamento tardio do cordão umbilical, realizado em até três minutos  após o nascimento para que o bebê receba o sangue da placenta, evitando anemias; e o aleitamento materno na primeira hora de vida, que incentiva a amamentação, que por si só já reduz em 13% a mortalidade infantil”, destacou o coordenador.

EXPOSIÇÃO – A mostra foi idealizada em Belo Horizonte pela pediatra, epidemiologista e coordenadora da Comissão Perinatal e do Movimento BH pelo Parto Normal, Sônia Lansk, e pelo professor dos programas de pós-graduação em História e Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Bernardo Jefferson de Oliveira.

UM – A visita começa pelo ambiente Gestação, onde há uma televisão que apresenta a imagem 3D do participante grávido, incluindo dos homens. No local, interessados poderão fotografar o momento e compartilhar o registro nas redes sociais.

DOIS – A segunda parte é o Mercado do Parto. O local representa uma crítica ao tratamento comercial dado à gestação e ao processo do parto, já que procedimentos estão atrelados com ênfase na finalidade econômica. Também é uma crítica a falta de humanização no parto.

TRÊS – Para refletir sobre a escolha entre um parto normal ou humanizado, o espaço Controvérsias transmite um vídeo em que personagens conversam sobre os diversos pontos de vista, entre eles, uma mãe que deferente a cesariana em função da dor, enquanto outra defende o parto natural e humanizado. Uma pediatra expõe, ao final, os benefícios do parto normal.

QUATRO – Denominado Nascimento, o penúltimo espaço traz a experiência sensorial, em que o público poderá ouvir os batimentos cardíacos do bebê e ruídos internos que a criança ouve quando está no ventre da mãe. Haverá, ainda, uma simulação em que os visitantes poderão simular a entrada no útero e passarão pelo canal do parto. Ao final, as pessoas serão recebidas por uma mulher de braços abertos.

QUINTO – Em Conversas, o participante finaliza a mostra em uma área de convivência onde será possível dialogar sobre os temas abordados, experiências e pontos de vista. No espaço, há painéis e filmes sobre o nascimento, além de mediadores que poderão esclarecer dúvidas.

CONFIRA O CRONOGRAMA

9 a 24 de outubro
Terça-feira a domingo, das 9 às 18h
Praça Central de Ceilândia, ao lado do Restaurante Comunitário
Aberto ao público

30 de outubro a 25 de novembro
Segunda-feira a sábado, das 9h às 18h
Estacionamento entre a Praça das Fontes e a Rodoviária do Plano Piloto
Aberto ao público

1 a 5 de dezembro
Centro de Convenções Ulysses Guimarães
Aberto aos participantes da Conferência Nacional de Saúde