Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/04/20 às 16h45 - Atualizado em 13/04/20 às 17h12

Farmácia Viva do Cerpis inicia processo para produção de tintura de boldo

COMPARTILHAR

Fitoterápico é utilizado para tratar distúrbios gástricos e marca a retomada da colheita e produção de plantas medicinais na Farmácia

 

Após um período de interrupção para manutenção predial, o Núcleo de Farmácia de Manipulação de Planaltina, mais conhecido como Farmácia Vida do Cerpis, retomou os processos de início da produção de fitoterápicos. A primeira colheita foi de folhas de boldo nacional, uma planta medicinal utilizada para distúrbios gástricos, originária das medicinas tradicionais e validada pela ciência.

 

A colheita foi realizada pelos servidores da unidade, com todos os equipamentos de proteção para o servidor e para a colheita, no horto medicinal da Farmácia Viva no Instituto Federal de Brasilia (IFB)- campus Planaltina.

 

“As etapas do manejo das plantas medicinais compreendem: cultivo, colheita, processamento, armazenamento e obtenção do derivado vegetal. O tempo desses processos é característico de cada planta”, detalha a farmacêutica e chefe do núcleo, Isabele Aguiar Bezerra.

 

Ela explica que as folhas de boldo nacional, após a colheita, passaram por triagem e em seguida iniciou-se o processo de secagem. As etapas seguintes são trituração das folhas secas e armazenamento.

 

“Após o armazenamento, inicia-se o processo de obtenção do derivado vegetal, conhecido como tintura de boldo nacional, com propriedades antidispépticas. Caracterizado como fitoterápico, ou seja, obtidos com emprego exclusivo de matérias-primas ativas vegetais”, complementa a farmacêutica.

 

Foram colhidos 18 kg da planta. “Entretanto, com o processo de secagem, o rendimento cai, mas ganhamos na produção da tintura de boldo. Para se ter uma ideia, 1 kg de planta seca produz 5 ml de tintura. Quando envasados em frascos de 30 ml, o rendimento é de aproximadamente 166 frascos”, explica Isabele.

 

A colheita deste mês ainda está em fase de processamento e deve demorar a chegar na etapa do fornecimento à população. “Precisamos concluir todas as etapas. Somente após estoque de elenco, iniciamos a etapa de fornecimento”, destaca a farmacêutica, lembrando que não é porque é natural, que não faz mal. “As plantas medicinais e os fitoterápicos possuem indicações e contraindicações. O tratamento deve ser avaliado por um profissional de saúde”, frisa.

 

MODELO – O Núcleo de Farmácia de Manipulação de Planaltina desenvolve o modelo Farmácia Viva, ou seja, realiza todas as etapas, desde o cultivo, a coleta, o processamento, o armazenamento de plantas medicinais, a manipulação e a dispensação de preparações magistrais e oficinais de plantas medicinais e fitoterápicos.

A Farmácia Viva tem como missão produzir fitoterápicos de qualidade com garantia de segurança e eficácia, a partir de plantas medicinais validadas, buscando oferecer opção terapêutica aos profissionais e usuários do SUS, bem como desenvolver trabalhos educativos sobre o uso correto das plantas medicinais, promovendo o uso sustentável da biodiversidade e o desenvolvimento da cadeia produtiva.

 

Alline Martins, da Agência Saúde
Fotos: Divulgação