Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/07/15 às 15h02 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Força-tarefa contra a dengue em Planaltina

COMPARTILHAR

Equipes de prevenção visitam lotes abandonados

BRASÍLIA (8/7/15) – De fevereiro até agora, uma equipe formada por dois agentes da Vigilância Ambiental, dois bombeiros, dois policiais militares, um funcionário do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e um chaveiro visitou 200 casas e lotes abandonados em Planaltina. Nessas vistorias, o grupo identifica e elimina possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, responsável por transmitir a dengue e a febre chikungunya.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde, 2 mil casos da doença foram registrados na região administrativa de janeiro até a última segunda-feira (6). No mesmo período de 2014, houve 2.154 ocorrências confirmadas. Por se tratar de uma localidade com alta incidência, Planaltina receberá até o fim de julho as ações de combate à dengue com o apoio do Corpo de Bombeiros.

As residências vazias são identificadas durante visitas de porta em porta feitas por bombeiros e agentes ambientais, geralmente no período matutino. “Perguntamos se os vizinhos conhecem o dono da tal casa e se têm o número de telefone dele. Quando não conseguimos, pedimos a um chaveiro para abrir as fechaduras”, conta a chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental de Planaltina, Marinalva Teles. Em alguns casos, é desnecessária a ação do profissional, pois são lotes com muros quebrados ou portões destrancados, com muito mato e lixo acumulado. Para adentrar os locais, os agentes têm uma autorização judicial.

Os policiais militares são os primeiros a entrar nos imóveis. Eles verificam se há alguém e garantem a segurança da equipe. Depois, os agentes observam cada ponto, e os bombeiros auxiliam em ações diversas, como o fechamento de fossas ou cisternas e caixas d'águas. O gari recolhe todo lixo que possa reter água.

De acordo com Marinalva Teles, quando o dono do lote é encontrado, ele recebe um prazo para corrigir irregularidades. Os proprietários podem ser advertidos ou multados pela Vigilância Sanitária, de acordo com a Lei Federal nº 6.437, que lista infrações à legislação sanitária federal e estabelece sanções. Dependendo do tipo do delito — leve, grave ou gravíssimo —, as multas variam entre R$ 2 mil e R$ 1,5 milhão.

No Distrito Federal
Em todo o DF, 7.683 casos de dengue foram confirmados de janeiro a ontem — 26,97% a menos que no mesmo período do ano passado. “Esperamos que agora, com a redução das chuvas e da temperatura, os números caiam cada vez mais”, afirma o chefe da Assessoria de Mobilização Institucional e Social para Prevenção à Dengue, Ailton Domicio.

Varjão
A administração regional do Varjão, em parceria com o SLU, iniciou nessa segunda-feira (6) a campanha Varjão Limpo. Entre outras ações, os dois órgãos vão retirar entulhos das ruas e orientar os moradores quanto à necessidade de evitar o acúmulo de lixo para combater os focos de dengue. A ação ocorrerá das 8 às 18 horas até sexta-feira (10).