Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/06/20 às 10h06 - Atualizado em 17/06/20 às 15h48

Gestantes participam de roda de conversa on-line promovida pela Casa de Parto de São Sebastião

COMPARTILHAR

A iniciativa conta com o apoio do Banco de Leite da região e atende as pacientes da unidade

 

JOHNNY BRAGA*, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

Foto: Divulgação/Secretaria de Saúde

Com a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) alguns serviços foram modificados para evitar aglomerações e a disseminação do vírus entre indivíduos. Pensando nisso e para manter os atendimentos e orientações às gestantes, a Casa de Parto e o Banco de Leite de São Sebastião fizeram um encontro virtual de duas horas com 18 gestantes. O objetivo foi esclarecer dúvidas sobre o funcionamento do local, o trabalho de parto, o parto, a amamentação e os cuidados com o recém-nascido.

 

O encontro presencial está suspenso desde março. Por mais que o pré-natal não tenha deixado de ser feito nas unidades de saúde, pois se trata de um serviço essencial, nem todas as dúvidas das gestantes são esclarecidas durante as consultas. Como não poderia deixar de ser mencionado, o coronavírus esteve entre os assuntos debatidos virtualmente. Nesse tema, profissionais e pacientes debateram sobre as mudanças de rotinas, de comportamento e alguns cuidados a serem tomados durante a pandemia.

 

“Nós oferecíamos a roda de conversa com gestantes todas as quartas-feiras e um sábado por mês. Então elas estavam perdendo muito da oportunidade de conhecer a Casa de Parto e nosso funcionamento. Como vimos que o período de isolamento estava se postergando cada vez mais, tivemos a ideia de fazermos online”, explica a gerente da Casa de Parto e enfermeira obstetra Clarice Maciel.

 

Foto: Divulgação/Secretaria de Saúde

SUCESSO – Mesmo diante da dificuldade do acesso à internet por uma parcela da população, observou-se que o número de participantes foi maior pela web que no modo presencial, como ocorria. De acordo com a gerente da Casa de Parto, a média de mulheres participantes dos encontros era de dez, oito a menos que na última terça-feira (9), data do encontro. Para ela, o retorno com o atendimento à distância foi um sucesso.

 

Ao todo, 38 gestantes interessaram-se em participar, porém foram feitas inscrições de apenas 23 mulheres, pois já estavam no terceiro trimestre de gravidez. Dessas, 18 participaram. Clarice Maciel destaca a aceitação que a ação virtual teve.

 

“Estamos pensando em manter este formato junto com a reunião presencial, mesmo depois da pandemia. Não inscrevemos um número maior de gestantes pois queríamos que elas tivessem oportunidade de participar e tirar suas dúvidas”, explica.

 

De acordo com a diretora da Atenção Secundária da Região de Saúde Leste, Jane Sampaio Carvalho, mesmo diante de uma pandemia a equipe mostra um esforço de garantir um acolhimento adequado às gestantes. “Isso é resultado do trabalho de uma equipe humana, preocupada em garantir orientação e acolhimento às nossas usuárias”, observa.

 

AMPLIAÇÃO – Com a adesão das gestantes com a iniciativa em São Sebastião, a Rede Cegonha junto com a gerência de enfermagem obstétrica da Secretaria de Saúde e a Coordenação dos Bancos de Leite Humano estudam levar a ideia para outras Regiões de Saúde do DF.

 

De acordo com a coordenadora dos Bancos de Leite Humano do Distrito Federal, Miriam Santos, toda forma de ampliar o atendimento e levar informação é válida. “Com a pandemia, tivemos que nos reinventar e criar novas soluções para que possamos dar informações corretas para essas mulheres e suas família. Faremos isso através dos nossos canais, o site da Secretaria de Saúde, o facebook e o instagram do Amamenta Brasília. Quanto mais informações às famílias e as próprias gestantes tiverem, melhor”, considera.

 

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

HISTÓRIA – A Casa de Parto de São Sebastião funciona, desde 2009, com equipe de enfermeiros obstetras e técnicos em enfermagem. Há seis anos atende apenas as pacientes da Região de Saúde Leste (formada pelas regiões de São Sebastião, Paranoá, Itapoã, Jardins Mangueiral, Jardim Botânico e Lago Sul), devido à portaria de regionalização da atenção obstétrica (nº47 de 2014 e 1321 – revisão em 2018).

 

Os índices de qualidade e segurança são aferidos periodicamente. O protocolo institucional do serviço é bem rígido, para garantir atendimentos apenas às gestantes de risco habitual.

O hospital de referência para os casos que não se enquadram no protocolo da Casa de Parto é o Hospital da Região Leste, e para Covid-19 é o Hran.

 

NOVO ENCONTRO – Já foram disponibilizadas as novas datas em que serão realizados os novos encontros virtuais para as gestantes atendidas na Casa de Parto: 23 de junho, 7 julho e 21 de julho.

 

*Com informações da Superintendência da Região de Saúde Leste