Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/10/13 às 13h56 - Atualizado em 30/10/18 às 15h08

Guará promove capacitação em HIV, AIDS e transmissão vertical

COMPARTILHAR

Ação da Vigilância Epidemiológica para profissionais da regional de saúde

O Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Regional de Saúde do Guará realiza, até sexta-feira (11), capacitação em HIV, AIDS e transmissão vertical. Serão três oficinas de cinco horas presenciais e cinco horas de estudo complementar. Esse trabalho faz parte do projeto de capacitação da Vigilância Epidemiológica para profissionais da regional de saúde do Guará que seguirá com dez módulos, até maio de 2014.

A atividade do Módulo I trará os aspectos clínicos e epidemiológicos do HIV/ AIDS, a vigilância epidemiológica com foco na definição de caso, investigação, notificação compulsória, fluxos e rotinas. Ainda será abordado o tema Gestante HIV e Criança Exposta. Todos os dias, haverá grupos de estudo com a participação de facilitadora que fará as atividades propostas baseando no roteiro de estudo de caso clínico e referências apontadas.

As facilitadoras são profissionais da SES/DF convidadas que tenham conhecimento e experiência no tema. Onã Apolinário é uma dessas profissionais e destacou a importância de ter profissionais de todas as unidades do Guará, inclusive do CAPS-Ad. “A intenção é que haja um crescimento com a troca de experiências diversas. Os grupos montados são diferentes para interação dos servidores e dos casos distintos. Além disso, os profissionais que participam serão multiplicadores em suas unidades, levando conhecimento aos demais”, afirmou.

Para apoiar as ações em AIDS, existem os Centros de Referência e dos nove existentes em Brasília, o Guará possui uma unidade localizada no Centro de Saúde nº 02 (QE 17, AE). Qualquer pessoa pode procura-la para receber as orientações pertinentes ou fazer o teste, que é realizado de acordo com a norma definida pelo Ministério da Saúde e com produtos registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e por ela controlados.

Segundo o Ministério da Saúde, a faixa etária em que a AIDS é mais incidente, em ambos os sexos, é a de 25 a 49 anos de idade. Chama atenção a análise da razão de sexos em jovens de 13 a 19 anos. Essa é a única faixa etária em que o número de casos de AIDS é maior entre as mulheres. O resultado positivo para o HIV está relacionado, principalmente, ao número de parcerias (quanto mais parceiros, maior a vulnerabilidade), à coinfecção com outras doenças sexualmente transmissíveis e às relações homossexuais.

 

Érika Bragança