Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/10/13 às 12h41 - Atualizado em 30/10/18 às 15h08

HMIB amplia atendimento a prematuros

COMPARTILHAR

Mensalmente 100 bebês serão beneficiados com ambulatório de fisioterapia

 

O Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB) iniciou, nesta semana, novo ambulatório de fisioterapia para acompanhar bebês que apresentam sequelas motoras até o primeiro ano de idade.

“Era um sonho antigo poder trabalhar o desenvolvimento motor das crianças desde o nascimento. O diagnóstico e intervenção precoces nos ajudam a obter resultados positivos”, relata a fisioterapeuta Letícia Narciso.

O HMIB é responsável pelo nascimento de até 60% dos prematuros com menos de 28 semanas no Distrito Federal. O ambulatório follow up de fisioterapia foi criado para sanar a demanda de cerca de 100 bebês que nascem mensalmente no hospital e que são considerados pré-maturos ou de risco e apresentam algum distúrbio na parte motora.

Segundo a fisioterapeuta, anteriormente havia um acompanhamento mais voltado para a parte médica até a alta hospitalar. Após esse momento, as crianças com problemas motores eram encaminhadas à Secretaria de Educação. Com a criação do Núcleo de Saúde Ocupacional em fevereiro desse ano e o aumento do contingente de profissionais fisioterapeutas lotados na UTI Neonatal, que hoje contabiliza 24, foi possível ampliar o atendimento.

Os fatores que podem levar a necessidade da intervenção dos profissionais são: a prematuridade, intercorrências no parto como aspiração do mecônio e asfixia ou síndromes genética. A partir de exercícios e estimulações específicas, a criança consegue melhorar o seu desenvolvimento.

Breno Meireles nasceu prematuro e com dilatação biventricular. Segundo a mãe, Gisela Meireles, desde que recebeu alta, o filho iniciou o processo de fisioterapia para não ter complicações de atraso motor. “Esse acompanhamento essencial para o meu filho, pois o médico disse que a fisioterapia acelerará a recuperação e evitará que ele tenha problemas futuros”, comenta Gisela. 

A gerente do Núcleo de Saúde Ocupacional, Renata Pereira de Carvalho, explica que o trabalho da equipe também abrange mães, médicos e enfermeiros. Os fisioterapeutas são responsáveis por orientar às mães e outros profissionais em relação ao correto manuseio do bebê.

“As pessoas desconhecem que ao posicionar corretamente a criança no berço podem-se minimizar deformidades e encurtamentos de tendões, problemas que ficarão mais evidentes com o crescimento da criança”, relata Renata.

De acordo com a Coordenadora Geral de Saúde da Asa Sul, Roselle Bugarin Steenhouwer, o hospital está em amplo movimento para atender as diretrizes do programa Rede Cegonha para ampliar e qualificar o atendimento. “O ambulatório é mais um passo que damos para a conquista de uma assistência mais integral aos usuários do SUS”, conclui Roselle.

Saiba mais:

O ambulatório será aberto apenas para as crianças nascidas ou transferidas para o HMIB e ocorrerá nas segundas, quintas e sextas pela manhã e a tarde, na quarta-feira, apenas no período vespertino.           

Ana Luiza Greca e Ludmila Mendonça