Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
31/10/13 às 12h59 - Atualizado em 30/10/18 às 15h08

Saúde cria “fila rápida” na Pediatria do Hospital do Gama

COMPARTILHAR

Serviço passa a funcionar no ambulatório, de segunda à sexta-feira, de 7h às 19h

Os usuários considerados de pequena gravidade que procuram o atendimento do Pronto Socorro Infantil do Hospital do Gama contam, a partir desta quinta-feira (31), com o consultório de baixo risco (fichas verdes e azuis). O serviço passa a funcionar no ambulatório do HRG de segunda-feira à sexta-feira, de 7h às 19h, com um médico por período (manhã e tarde), uma sala de medicação e posto de enfermagem. Nos finais de semana e durante a noite, o atendimento volta para o Pronto Socorro.

De acordo com o secretário de Saúde, Rafael Barbosa, a medida foi tomada para evitar a sobrecarga na emergência e melhorar o atendimento. Por dia, são realizados cerca de 200 atendimentos no PSI e pelo menos 60% deste total são pacientes que moram na Região Metropolitana do DF. “Não podemos deixar o problemas da falta de pediatras prejudicar a população, por isso acreditamos numa significativa melhora do atendimento”, disse.

Segundo o diretor do HRG, João Batista Tajra, doze pediatras das unidades básicas (Centros de Saúde) darão suporte para o atendimento ambulatorial. “A iniciativa pretende dar maior resolubilidade aos serviços da emergência infantil um vez que 60% dos atendimentos realizados no pronto socorro são de pequena gravidade. Acreditamos que com isso melhoraremos também a assistência às crianças com maior gravidade”, disse o diretor.

Desde setembro de 2013, o pronto socorro infantil do HRG atende por classificação de risco com base no Protocolo de Manchester, onde a criança não é atendida por ordem de chegada, mas de acordo com o risco ou gravidade que é apresentada ao fazer a triagem. Crianças que recebem as cores vermelhas, laranjas e amarelas indicam casos mais graves, seguidos pelas cores verdes ou azuis, que indicam pacientes de menor risco.

“Nos casos classificados como verde e azul, orientamos aos moradores do Gama que procurem a sua unidade básica de saúde onde existe uma estrutura de assistência organizada pelo modelo Estratégia Saúde da Família”, destacou Robson Brito, coordenador da Regional de Saúde do Gama.

Além de prestar assistência ao Gama e Santa Maria, o HRG recebe pacientes de 25 cidades de Goiás, cinco de Minas Gerais e quatro da Bahia. De janeiro a setembro desse ano, o PSI já realizou 46.146 atendimentos.

Eliane Simeão e Wenia Alecrim