Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/09/17 às 11h05 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

HRSam realiza cirurgia de número 585 em centro de referência para hérnia e vesícula

COMPARTILHAR

Depois de zerar fila de Samambaia, unidade atende casos de Taguatinga e Ceilândia

BRASÍLIA (4/9/17) – O Centro de Referência em Cirurgias de Pequena e Média Complexidade- Hérnia e Vesícula, que funciona no Hospital Regional de Samambaia (HRSam), chegou à cirurgia de número 585. Ainda em julho, a unidade conseguiu zerar a fila de Samambaia e passou a abrir vagas para novos pacientes daquela cidade. Porém, pessoas que aguardavam, em listas de Taguatinga e Ceilândia, para serem operadas, também começaram a ser chamadas para os procedimentos.

“Começamos um projeto-piloto do centro em novembro de 2016, quando fazíamos cerca de 20 cirurgias por mês. Em junho deste ano, quando o trauma do Hrsam foi transferido para o Hospital de Taguatinga, conseguimos aumentar a quantidade de cirurgias para 150 ao mês”, explica a diretora do hospital de Samambaia, Luciana de Melo.

Com a mudança de fluxo e a criação do centro de referência, o tempo médio de espera entre a primeira consulta e a cirurgia caiu de um ano para apenas 45 dias. “Alguns pacientes podem esperar um pouco mais, pois a fila não é por ordem de chegada, mas sim por gravidade. Aqueles classificados como mais urgentes, passam na frente”, ressalta a diretora da unidade.

Ela conta que todas as regiões de saúde estão recebendo orientações sobre o procedimento para encaminhamento de pacientes para a unidade. “Nós temos um protocolo operacional padrão que funciona assim: o paciente vai a uma consulta na Unidade Básica de Saúde e, havendo suspeita da necessidade de cirurgia, ele é encaminhado ao cirurgião-geral, no Hospital de Samambaia. Sendo confirmada a necessidade, ele faz os exames de risco cirúrgico e entra para o mapa de cirurgia. Será assim com todas as cidades”, detalha.