Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/11/20 às 18h56 - Atualizado em 19/11/20 às 14h06

HRT já fez 15 cirurgias e 30 consultas extras no Novembro Azul

COMPARTILHAR

Agenda adicional foi aberta para atendimentos urológicos em pacientes homens

 

JOSIANE CANTERLE

 

Ambulatório de urologia do HRT ampliou a oferta de consultas urológicas em novembro – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

O Hospital Regional de Taguatinga (HRT) aumentou a oferta de consultas de urologia durante a campanha Novembro Azul. A agenda deste mês, que habitualmente disponibiliza 60 vagas para primeira consulta, ofertou mais 30 vagas extras para atender o público masculino encaminhado das unidades básicas de saúde (UBSs). Além disso, o HRT já fez 15 cirurgias urológicas, até o momento, para retirada de cânceres de próstata, rim, bexiga, pênis e outras do trato urinário masculino.

 

As vagas extras foram destinadas para os homens que tiveram exame de PSA ou ecografia alterados. Outros 90 atendimentos de retorno são feitos mensalmente no ambulatório de urologia da unidade. Os pacientes que serão atendidos ao longo do mês são da Região de Saúde Sudoeste – formada por Taguatinga, Samambaia, Recanto das Emas, Águas Claras, Arniqueira e Vicente Pires.

 

Desde o início do ano, o HRT já fez 120 cirurgias urológicas. Também foram tratados pacientes com sonda que passaram por cirurgia de hiperplasia de próstata, aumento de volume prostático e, eventualmente, cálculo renal. Durante todo o ano passado, foram feitas 188 cirurgias pela mesma equipe.

Neste período, os casos mais graves são priorizados.

 

Atendimento ambulatorial

 

As unidades básicas de saúde da Região Sudoeste intensificaram o incentivo para os homens cuidarem da saúde. Por conta disso, aumentou-se a demanda por consultas com especialista nas policlínicas e no ambulatório de urologia que se prepararam ampliando as agendas.

 

Os primeiros pacientes atendidos pelos especialistas já receberam o encaminhamento de biópsia, que é feita no HRT. “Outros já têm cirurgia marcada, geralmente com uso de sonda, e outros a gente vai fazer o acompanhamento dentro do hospital”, descreve o médico urologista e cirurgião geral, Rony Mafra Lima.