Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/05/18 às 19h05 - Atualizado em 6/06/18 às 14h12

Informes Epidemiológicos – Caxumba

COMPARTILHAR

A parotidite infecciosa ou caxumba é uma doença viral aguda, cujos principais sinais e sintomas são a febre e o aumento das glândulas salivares. É considerada uma doença da infância, entretanto, na ausência de imunização, 85% dos adultos podem ter a infecção, sendo 1/3 destes assintomáticos. A parotidite costuma apresentarse sob a forma de surtos, que acometem mais as crianças. Nos últimos anos, muitos países, entre eles os Estados Unidos, o Reino Unido e a Bélgica, mesmo com altas coberturas vacinais, têm observado a ocorrência de surtos de parotidite entre escolares. Estes surtos podem ocorrer por adaptação do vírus, coberturas heterogêneas e falhas vacinais primárias ou secundárias, que são responsáveis pela manutenção da cadeia de transmissão. 

 

2016

 
Informativo Epidemiológico de Caxumba
 
Informativo Epidemiológico de Caxumba
 
 
Informativo Epidemiológico de Caxumba
 
Informativo Epidemiológico de Caxumba
 
Informativo Epidemiológico de Caxumba
 
Informativo Epidemiológico de Caxumba

 

2015

Informe Epidemiológico de Caxumba – 2015

Vacina: tríplice viral que previne contra a Caxumba, Rubéola e Sarampo.

A vacina está disponível na rede pública. A atividade protetora da vacina inicia-se em torno de 15 dias após a vacinação. A eficácia da vacina está acima dos 96% 
As contra-indicações incluem gravidez, pacientes com imunossupressão e pessoas alérgicas ao antibiótico neomicina.

Se eu não me lembro de ter tomado a vacina, posso ir ao posto e repetir a dose?

Sim. A melhor medida a fazer nesses casos é conferir a carteirinha de vacinação. Mas se você a perdeu por algum motivo, ou então achou que estava vacinado, mas não consta no registro, o melhor a fazer é se vacinar, ainda que repetidamente.

Surto: Defini-se como surto da doença a ocorrência de dois ou mais casos no mesmo local e com intervalo de tempo de até 35 dias entre eles.

Surtos de Caxumba na era pós-introdução da vacina

Na era pós-vacina, a maioria dos casos de caxumba ocorre em adolescentes, adultos jovens e estudantes universitários. A eficácia da vacina é avaliada comparando-se a taxa de ataque em pessoas vacinadas com não vacinadas. Na ocorrência de surtos em populações com alta cobertura vacinal, pessoas não vacinadas contra caxumba geralmente têm uma taxa de ataque da infecção muito maior do que aquelas corretamente vacinadas (com duas doses da vacina).

Fonte: Ministério da Saúde/ Fiocruz

Material da imagem abaixo para impressão – Caxumba

 

Caxumba