Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/04/18 às 18h51 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

Lacen promove seminário sobre novas tecnologias para diagnosticar o HPV

COMPARTILHAR

 

 

Com o objetivo de partilhar experiências, ampliar e gerar conhecimento, o Laboratório Central do Distrito Federal realiza, nesta quinta-feira (26), o seminário Novas tecnologias do diagnóstico do HPV.

 

No encontro, serão abordadas as ações implantadas na Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

 

O HPV se tornou o grande vilão, principalmente para a saúde da mulher.

 

Estima-se que 99% das mulheres que possuem câncer de colo de útero estejam infectadas pelo papilomavírus humano, mais conhecido como HPV, que tem mais de 150 sorotipos.

 

Os sorotipos 16 e 18, por exemplo, estão envolvidos com uma forma grave de lesão, acarretando câncer, principalmente do colo do útero, enquanto os de números 6 e 11 são descritos como causadores de verrugas anogenitais.

 

Embora a maioria das infecções siga um curso benigno, a infecção persistente por certos sorotipos pode levar ao desenvolvimento de câncer.

 

 

Sabe-se que o risco de câncer no homem e na mulher está diretamente relacionado à presença de HPV persistente e, consequentemente, a pesquisa desses tipos virais por meio de métodos moleculares tem sido extremamente útil para acompanhamento desses pacientes.

 

“Há a necessidade da popularização do diagnóstico molecular do HPV nos serviços de saúde pública do Distrito Federal, para pesquisa dos tipos de HPV e/ou a combinação de exame citológico cervical com métodos moleculares complementares, práticas amplamente utilizadas em vários países para acompanhamento de pacientes com diagnóstico de HPV persistente”, enfatiza Edson Bello, farmacêutico-bioquímico do Lacen-DF

 

TRANSMISSÃO – A transmissão do HPV se dá por contato direto com a pele ou mucosa infectada.

 

A principal forma é pela via sexual, que inclui contato oral-genital, genital-genital ou mesmo manual-genital.

 

Portanto, o contágio com o HPV pode ocorrer mesmo na ausência de penetração vaginal ou anal.

 

Também pode haver transmissão durante o parto. Embora seja raro, o vírus pode propagar-se também por meio de contato com a mão.

 

Seminário sobre Novas Tecnologias no Diagnóstico do HPV

Data: 26 de abril de 2018
Horário: das 8h às 12h
Local: Auditório do Laboratório Central de Saúde Pública do Distrito Federal
Endereço: SGAN 601, Lotes O e P, Asa Norte

 

TEXTO; Carolina Pedroza, da Agência Saúde