Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/03/20 às 19h10 - Atualizado em 28/03/20 às 19h11

Lacen terá mais cinco equipamentos de testagem do coronavírus

COMPARTILHAR

Eles se somarão aos três da unidade. Com isso, será possível fazer cerca de mil exames por dia

 

Para aumentar o quantitativo de exames de coronavírus realizados diariamente no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), a unidade receberá o reforço de cinco novas máquinas de testagem. Com isso, somado ao esforço de servidores que passarão a trabalhar, a partir de sexta-feira (27), 24 horas por dia, inclusive aos finais de semana, será possível fazer cerca de mil testes diários.

 

“Recebemos três equipamentos da Universidade de Brasília, que serão testados e liberados para rotina na próxima semana. Os outros dois também devem estar chegando”, diz o diretor do Lacen, Jorge Chamon. A unidade já conta com três aparelhos semelhantes, que fazem as testagens atualmente.

 

Os aparelhos são equipamentos de amplificação do tipo PCR em tempo real. “Eles são os analisadores que identificarão a presença de material genético correspondente aos Covid-19, dando a informação se o paciente tem ou não a doença”, explica Chamon.

 

Para o secretário da Saúde, Francisco Araújo, “a soma de esforços e a parceria com a UnB mostra que o momento exige atitudes urgentes e assertivas. Agradeço a UnB pela sensibilidade e agilidade nessa cooperação”, afirma o secretário.

 

EXTRA – Pelos próximos 90 dias, o Lacen funcionará, também, à noite e nos finais de semana, para realização dos testes de coronavírus. O objetivo é otimizar as máquinas que fazem o diagnóstico molecular e, com isso, diminuir o tempo de liberação dos exames.

 

Para isso, contará com o Trabalho por Período Determinado (TPD) de cerca de 50 servidores, entre biólogos, farmacêutico-bioquímicos, técnicos de laboratório, patologia clínica, técnicos de políticas públicas e gestão governamental, além de motoristas.

 

“Atualmente, o tempo médio de liberação de resultado é de até cinco dias. Com o plantão noturno e durante os finais de semana, pretendemos diminuir esse prazo para três dias e, em casos graves, até 24 horas”, informa o diretor do Lacen, Jorge Chamon.

 

Alline Martins, da Agência Saúde
Fotos: Geovana Albuquerque/Agência Saúde