Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/09/19 às 10h50 - Atualizado em 10/09/19 às 10h54

Lacen torna-se referência no diagnóstico da tuberculose no Centro-Oeste

COMPARTILHAR

Investimentos e capacitação de servidores são alguns dos fatores que levaram a esta certificação

 

Foto: Mariana Raphael/Saúde-DF

O Laboratório Central de Saúde Pública do Distrito Federal (Lacen) foi certificado pelo Ministério da Saúde como referência regional para diagnóstico de tuberculose e micobacterioses não tuberculosas. Agora, as quatro unidades da federação existentes na Região Centro-Oeste brasileira – a segunda maior em superfície territorial – contam com todo o aparato oferecido pelo laboratório, que pertence à Secretaria de Saúde do DF.

 

“A habilitação no edital de referenciamento em tuberculose é fruto de investimentos na aquisição de insumos, capacitação de servidores, ampliação do escopo de análises e de esforços de toda a equipe do Lacen”, enfatizou o diretor do laboratório, Jorge Chamon.

 

Foto: Breno Esaki/Saúde-DF

O Lacen integra a estrutura da Subsecretaria de Vigilância à Saúde (SVS) e, além do Centro-Oeste, poderá ampliar essa detecção para estados de outras regiões do território nacional.

 

Ele conta com equipamentos de última geração e realiza técnicas convencionais e moleculares para diagnóstico de doenças bacterianas, virais, fúngicas e parasitárias. As análises dos técnicos também colaboram com programas de diagnóstico e monitoramento terapêutico do Ministério da Saúde, o que contribuiu para que a unidade se tornasse um dos centros de referência em resistência bacteriana no Brasil.

 

“É extremamente gratificante o fato de a Região Centro-Oeste contar com um laboratório de referência em tuberculose. Isso aumenta a capacidade de resposta diagnóstica e em um tempo oportuno para a população do DF e de nossos estados vizinhos”, complementou o gerente de Biologia Médica, Fabiano Queiroz.

 

A Gerência de Biologia Médica (GBM) faz diagnóstico e controle de agravos de grande importância à saúde pública do DF. A unidade é composta pelos núcleos de Bacteriologia, Técnicas Especiais, Virologia, Parasitologia e Micologia.

 

Carolina Pedroza, da Agência Saúde