Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/04/18 às 17h49 - Atualizado em 13/04/18 às 18h47

Mais de 1,2 mil servidores da Saúde receberão GTIT em maio

COMPARTILHAR

 

Mais 1.278 servidores da Secretaria de Saúde receberão a Gratificação de Titulação (GTIT), prevista para ser depositada no salário de maio. Dessa forma, a demanda reprimida de 2014 até 26 de fevereiro deste ano será zerada.

 

“Fizemos um grande esforço e conseguimos regularizar totalmente os processos de Gratificação de Titulação, suspensa desde o governo passado. Esse é o resultado do trabalho e do compromisso de toda uma equipe, para valorização do servidor da pasta. Saúde se faz por pessoas e para as pessoas”, afirma o secretário de Saúde, Humberto Fonseca.

 

Os nomes dos beneficiados foram publicados no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de quarta-feira (11).

 

“Com esses novos beneficiados, terminamos toda a demanda reprimida e, dessa forma, é estabelecido o trâmite normal. Agora, o fluxo está de acordo com a demanda, com publicações mensais que continuarão saindo”, explica o diretor de Planejamento, Monitoramento e Avaliação do Trabalho da Secretaria de Saúde (Dipmat), David Paes.

 

Além disso, Fonseca destaca que, com o pagamento da GTIT, a pasta terá menos rotatividade nos cargos e mais estabilidade no corpo funcional dos serviços de saúde. “No final das contas, ganha a população”, avalia.

 

Em março deste ano, outros 1.101 servidores foram beneficiados com a GTIT.

 

Todos fazem parte dos cerca de três mil profissionais da pasta que estavam com a gratificação suspensa devido a entraves jurídicos. Em fevereiro, porém, o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) deu parecer favorável ao retorno do pagamento.

 

GTIT – O benefício é pago para quem apresenta diplomas ou certificados expedidos por instituições credenciadas pelo Ministério da Educação ou, em caso de instituição estrangeira, se revalidados ou reconhecidos em território nacional. O valor varia de pessoa para pessoa, podendo chegar a até 30% do vencimento básico.

 

TEXTO: Leandro Cipriano, da Agência Saúde