Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/03/19 às 12h39 - Atualizado em 13/03/19 às 10h06

Março Lilás alerta para conscientização e combate ao câncer de colo uterino

COMPARTILHAR

 

Conscientizar as mulheres sobre a importância de fazer o exame de prevenção ao câncer de colo uterino, mais conhecido como Papanicolau, é o objetivo da campanha Março Lilás, mês alusivo ao combate a esse tipo de doença e uma iniciativa apoiada pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

 

Ao longo deste mês, as unidades de saúde do DF estarão com porta aberta para o exame preventivo a esse tipo de câncer. “Então, se a paciente estiver na idade alvo, entre 25 e 64 anos, e não tiver feito o exame no último ano, pode procurar a unidade básica de saúde mais próxima de sua casa, sem precisar agendar”, explicou Indara Braz de Queiroz, Referência Técnica Distrital em Ginecologia Oncológica da Secretaria de Saúde.

 

O exame de Papanicolau, ou colpocitologia oncológica, faz a coleta das células da região do colo uterino para identificar infecções vaginais ou sexualmente transmissíveis e, principalmente, alguma lesão precursora de câncer de colo uterino, que é o terceiro tumor mais frequente na população feminina, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca).

 

INCIDÊNCIA – Em todo o Brasil, são esperados, anualmente, uma incidência de 16.370 casos novos da doença. No Distrito Federal, cerca de 670 casos novos foram registrados em 2018, com 76 óbitos. Em função das estatísticas, justifica-se a necessidade de fazer o exame, além de tomar a vacina responsável por proteger contra os vírus responsáveis por 70% das neoplasias invasoras que causam esse tipo de câncer.

 

“É muito importante vacinar e fazer o exame. O câncer de colo uterino tem cura e é facilmente prevenível. Ele é causado, essencialmente, pelo vírus HPV [Vírus do Papiloma Humano]. Pode ser evitado tanto por preservativo quanto pelas vacinas, que estão disponíveis na rede pública de saúde para meninas e meninos”, destacou Indara.

 

Em caso de detectar alguma lesão precursora desse câncer, o tratamento é realizado por meio de procedimentos poucos invasivos, simples de serem feitos em unidades ambulatoriais de colposcopia, disponível nas sete regiões de saúde do DF.

 

“Elas ficam tanto em policlínicas quanto nos hospitais, a depender da região. E quando detectado o câncer invasor, o tratamento pode ser realizado tanto cirurgicamente, como com quimioterapia ou radioterapia, a depender do estágio”, explica Queiroz.

 

MARÇO LILÁS – Não se sabe com definição quando começou a campanha do Março Lilás. No entanto, sabe-se que há muitos anos março é considerado o mês da mulher e, por isso, se tornou também um momento propício para alertar sobre o risco de uma das doenças responsáveis por causar tantas mortes anualmente.

 

Sobre a escolha da cor lilás, acredita-se que a origem está relacionada ao movimento que ocorreu na Inglaterra, em 1908, em que as mulheres lutaram pelo direito ao voto. Nesse episódio, que ficou conhecido como Movimento Sufragista, as mulheres elegeram as cores lilás, branco e verde como símbolos da campanha.

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde

Arte: Rafael Ottoni/Saúde-DF