Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/03/15 às 11h15 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Meninas e mulheres com AIDS também serão vacinadas contra HPV

COMPARTILHAR

Público-alvo inclui a faixa etária de 9 a 26 anos

BRASÍLIA (3/3/15) – Mulheres e meninas que são portadoras do Vírus HIV, pertencentes à faixa etária de 9 a 26 anos, a partir deste ano, passaram a integrar o público-alvo de vacinação da Secretaria de Saúde do Distrito Federal contra o papilomavírus humano (HPV). A medida segue orientação do Ministério da Saúde e a meta é vacinar cerca de 11 mil pessoas que integram esse grupo.

Segundo nota informativa do órgão federal, a incidência de lesões decorrentes do HPV ocorre com frequência nesse grupo, que tem cinco vezes maior probabilidade de desenvolver o câncer do colo de útero do que a população em geral.   

A vacinação será disponibilizada nos Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE) das regionais de saúde da SES. No Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB), serão imunizadas as crianças de 9 a 12 anos de idade. Já quem está na faixa etária de 13 a 26 anos de idade será atendida na Asa Norte, Ceilândia, Taguatinga, Gama, Planaltina e Sobradinho.

“É necessário que a menina ou a mulher leve a indicação da vacina prescrita pelo médico que a acompanha, tanto da rede pública como privada”, destacou a gerente de Vigilância Epidemiológica e Imunização, Cristina Segatto, ao lembrar que essa imunização passa a fazer parte do calendário de vacinação de rotina. 

As meninas/mulheres também devem levar a caderneta de vacinação para que os profissionais verifiquem se já foi aplicada alguma dose imunológica contra o HPV, além do documento de identidade para que as informações sejam inseridas no sistema de informação nominal (SIPNI). 

CICLO – O esquema de vacinação será de três doses, sendo a segunda após  dois meses e a terceira após seis meses. “É importante que a mesma receba as três doses da vacina no período indicado pelos técnicos das salas de vacinas dos CRIEs, para garantir a eficácia da vacina”, finalizou a gerente.

LEIA MAIS:

Saúde espera vacinar 21 mil meninas contra o HPV