Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/02/19 às 19h07 - Atualizado em 12/02/19 às 8h59

Modelo de gestão IGESDF manterá direitos dos servidores

COMPARTILHAR

 

 

O diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF), Francisco Araújo, garantiu aos mais de 2,2 mil servidores do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) que a mudança na gestão garantirá a manutenção de todos os direitos inerentes aos concursados. A afirmação foi feita nesta segunda-feira (11), durante reunião com os profissionais, no auditório da unidade de saúde.

 

Pretendeu-se, com esse encontro, esclarecer dúvidas e reduzir as incertezas e angústias geradas entre os servidores, após o governador Ibaneis Rocha sancionar a lei que implementará mudanças no modelo de gestão das seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e do Hospital Regional de Santa Maria.

 

De acordo com o secretário adjunto de Gestão, Sergio Luiz da Costa, o encontro com a equipe do HRSM teve a finalidade de esclarecer sobre o novo modelo de gestão. Ele foi enfático: ” Não adotaremos nenhuma medida para prejudicar o servidor. O hospital não será gerenciado por organização social, mas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal que é servico social autonomo, sendo presidente do conselho o Secretário de Estado de Saúde Osnei Okumoto. Nao haverá transferência da gestão, que é função do Distrito Federal”. Ele esclareceu que a liberdade de permanecer ou não no hospital, após a mudança, será preservada.

 

Francisco Araújo afirmou que quem deseja permanecer no HRSM ou dele se retirar terá plena liberdade para fazê-lo. Nenhum servidor será retirado do seu posto de trabalho ou perderá direitos.

 

A nova forma de gerir o hospital, assegurou Araújo, visa melhorar as condições de trabalho dos profissionais, “em curto espaço de tempo”. E garantiu: “Queremos valorizar vocês”. Ao responder ao questionamento de uma servidora, confirmou que o pronto-socorro continuará atendendo de portas abertas.

 

O superintendente de Desenvolvimento de Pessoas do Instituto, Fabiano Santos, lembrou que “todo processo de mudança gera medo e preocupação, mas também representa uma oportunidade, pois o HRSM receberá mais profissionais nos seus quadros, mais insumos e materiais. “Nosso objetivo é o mesmo de vocês: prestar o melhor serviço de saúde à população. E nosso papel é dar suporte e apoiar vocês, servidores”.

 

Francisco Araújo fez questão de lembrar que o hospital continuará sob responsabilidade da superintendente da Região de Saúde Sul, Elayne Cristina Rangel Marinho, e gerido pelo seu diretor, Igor Silveira Dourado, ambos servidores de carreira da pasta.

 

 

Da Agência Saúde

Fotos: Mariana Raphael/Saúde-DF