gototop
Quarta, 23 Janeiro 2013

SES amplia atenção à saúde do homem

 

Atendimentos de atenção primária com foco na prevenção



A Secretaria de Saúde está ampliando a atenção à saúde do homem no Distrito Federal. Além do serviço existente em Sobradinho, dois ambulatórios já funcionam em Ceilândia. Nesses locais, os usuários do sexo masculino tem acesso a consultas e acompanhamento num trabalho que visa dar atenção integral a essa parcela da população, um tanto avessa aos cuidados com a saúde.

 

Em Sobradinho II, o atendimento é realizado desde 2007, três vezes por semana, das 17h às 22h, no Centro de Saúde 3. Já em Ceilândia, o serviço está disponível desde o ano passado nos Centros de Saúde 6 (P Sul) e 8 (P Norte), duas vezes por semana, também no terceiro turno, a partir das 18h. Uma equipe de Saúde da Família do Centro 9 (P Sul) também oferece consultas para homens, uma vez por mês.

 

Os ambulatórios do homem, segundo subsecretária de Atenção Primária à Saúde, Rosalina Aratani Sudo, realizam atendimentos de atenção primária com foco na prevenção. Ela destaca que o objetivo da Secretaria de Saúde é ampliar esse serviço para todas as regionais. “Nossa intenção é ter pelo menos um ambulatório de referência em cada cidade do DF”, ressalta.

 

De acordo com a médica do ambulatório de Sobradinho, Maria Aparecida Murr, a estratégia utilizada para fazer o atendimento tem baixo custo e traz benefícios relevantes. “O gasto para proporcionar esse serviço à população é muito pequeno. É necessária apenas uma equipe voltada ao atendimento masculino em um turno diferenciado. E esse espaço é muito importante para que os homens também criem o hábito de cuidar da sua saúde”, ponderou.

 

O ambulatório, segundo Rosalina Sudo, é importante para possibilitar o acesso do homem ao tratamento em período diferenciado, já que eles sentem dificuldade em procurar as unidades de saúde no horário de trabalho. Ela também destaca o desinteresse da população masculina com a saúde, que vive, em média sete anos menos que a mulher. “O homem cuida menos da saúde, procura menos atendimento médico, por isso a preocupação em ampliar o atendimento”, diz.

Em geral, a mortalidade na faixa etária de 20 a 29 anos da população masculina tem causas externas (acidentes e violência). Na faixa etária de 30 a 49 anos e de 40 a 59 anos, há aumento de mortes por algum tipo de câncer e de doenças do aparelho circulatório e respiratório.

Ambulatório

A Saúde do Homem está inserida na atenção primária e realiza um trabalho preventivo. Nesse ambulatório, não é realizado o atendimento de especialidades. Quando a equipe constata algum problema de saúde que necessita de atendimento especializado, o paciente é encaminhado para o serviço responsável. No entanto, o monitoramento desse paciente continua sendo realizado pelo Ambulatório de Saúde do Homem.

 

A maioria dos atendimentos, segundo a coordenadora do Programa de Saúde do Homem da SES, Laurez Vilela, é relacionada à doenças sexualmente transmissíveis ou a alguma alteração no órgão sexual masculino. Para trabalhar nessa área, o profissional precisa ter um perfil diferenciado e saber vencer a resistência dos homens. “O médico aproveita a oportunidade para fazer um atendimento integral, buscando identificar outros problemas de saúde como pressão alta e diabetes”, relata.

 

Existem duas formas de o paciente ser atendido nesse ambulatório: ou por livre demanda, quando o próprio paciente procura o atendimento nos horários de funcionamento, ou por referência, quando o homem é indicado por um membro da equipe de Saúde, que procura o paciente.

 

A equipe é formada por um médico, um enfermeiro e técnico de enfermagem. São realizados 15 atendimentos por dia, em média, entre pacientes novos e de acompanhamento. A equipe atende pacientes marcados e, em seguida, a demanda livre.

 

Celi Gomes

OUVIDORIA
BOTOES site Escola de Medicina e Enfermagem
HEMOCENTRO
TRANSPLANTE
BANNER transparencia
VOCÊ ESTÁ AQUI: Início Notícias SES amplia atenção à saúde do homem