Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/08/13 às 15h28 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Número de reclamações por falta de medicamento cai 76%

COMPARTILHAR

Queixas foram feitas pelo cidadão à Ouvidoria de SES no primeiro semestre

Levantamento da Ouvidoria da Secretaria de Saúde revela uma queda de 76% no número de reclamações relativas à falta de medicamentos na rede pública. No primeiro semestre de 2012, foram registradas 1.705 queixas, enquanto no mesmo período deste ano foram 405.

“A Ouvidoria auxilia a gestão, identificando e sugerindo os pontos que necessitam de melhorias na rede de saúde, além de ser uma ferramenta de controle social exercida pelo cidadão”, observa a Ouvidora da SES, Francis Nakle de Roure.

Os números de reclamações de falta de medicamentos vêm caindo nos últimos anos, refletindo diretamente os investimentos que estão sendo feitos pela SES no abastecimento das farmácias da rede. O resultado foi possível, segundo o subsecretário de Administração Geral (Suag), José Moraes Falcão, devido a uma série de ações que tornaram mais eficiente o sistema de aquisição de produtos médicos hospitalares.

Entre as medidas tomadas está a definição de dois pregoeiros para trabalhar exclusivamente com aquisição de medicamentos na Central de Compras da SES. Também houve aumento de pesquisa de preço e a criação de um sistema informatizado específico para controle dos estoques. Antes das mudanças implantadas, a central de compras licitava 60 itens por mês e passou a fazer 360.

A lista de medicamentos padronizados da SES tem 830 itens. No esforço para acabar com o desabastecimento na rede – alcançado em agosto do ano passado – houve também a redução no prazo de finalização das compras. “O processo, que antes demorava entre três e quatro meses, hoje é feito em no máximo 30 dias”, salienta Falcão.

Celi Gomes