Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
17/11/16 às 18h26 - Atualizado em 30/10/18 às 15h16

Pais de jovem baleada em assalto elogiam equipe da UTI do Base

COMPARTILHAR

Estudante de pedagogia foi internada no dia 9 de novembro

BRASÍLIA (17/11/16) – Após susto, os pais da estudante de pedagogia Raniely de Sousa, 27 anos, vítima de bala perdida durante um assalto, elogiam o tratamento e a forma de assistência oferecidos à filha na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Base (HBDF). A jovem está internada na unidade há oito dias.

O polidor de pedras José Francisco de Sousa conta que, ao ser socorrida, a filha foi encaminhada primeiramente ao Hospital Regional da Asa Norte (HRAN). “No dia em que tudo aconteceu, fiquei desesperado porque não sabia o que ia acontecer com a Raniely. Assim que o leito da UTI do Hospital de Base foi liberado, consegui ficar mais calmo por ter me sentido acolhido desde o momento que entrei na unidade”, revela o pai da estudante.

A comerciante Maria de Sousa, mãe da jovem, revela que o tratamento fornecido por toda a equipe da UTI do Base é completamente humanizado. “Eu estava em choque com toda a situação e foi no momento em que estava me sentindo mais perdida que a responsável técnica da unidade veio falar comigo. A partir daquele instante eu recebi respeito como ser humano e pela dor de ver minha filha internada”, declara.

A mãe diz ainda que, com todo o apoio e carinho que recebe de cada profissional que trabalha na unidade, está confiante de que a filha se recuperará por completo. “Já repeti várias vezes para toda a equipe e vou falar mais uma vez: enquanto eu viver, serei eternamente grata a cada um daqui pela forma como fomos recebidos, pela preocupação e todo empenho dispensados à Raniely”, afirma emocionada.

A psicóloga e responsável técnica pela UTI, Cibelle Antunes, explica que a unidade conta com equipe multiprofissional composta pelos especialistas das áreas médicas, além de residentes. “Devido à variedade dos profissionais que fazem parte da UTI e, principalmente, pelo amor que temos ao que fazemos e a quem prestamos este serviço, todo o tratamento feito aqui na unidade é de forma humanizada. Desde o momento em que recebemos o paciente até o momento em que ele recebe alta, a assistência prestada é oferecida especificamente para cada um deles”.

CASO – Raniely de Sousa estava numa agência bancária na Cidade Estrutural no momento em que houve um assalto. Ela foi atingida por um tiro nas costas. A bala perfurou o fígado e está alojada no coração.