Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/11/13 às 12h46 - Atualizado em 30/10/18 às 15h09

SES orienta sobre a perda de peso saudável

COMPARTILHAR

Hábitos como trocar o elevador pela escada são considerados saudáveis

A busca pelo “corpo perfeito” por meio das “dietas milagrosas” faz com que muitas pessoas se esqueçam de buscar ajuda profissional para perder peso. Dados recentes do Ministério da Saúde apontam que mais da metade da população está acima do peso, estatística que pode ser combatida com a mudança consciente nos hábitos alimentares.

Porém, o primeiro passo na busca da perda de peso é fazer uma consulta com o profissional adequado. Segundo endocrinologista do Hospital Regional da Asa Norte, André Mascarenhas, as necessidades variam de pessoa para pessoa e só o médico pode dizer a melhor forma de emagrecer.

“É muito comum em academias de ginástica, por exemplo, os próprios professores indicarem fórmulas e remédios. Porém, quem deve fazer isso é o profissional adequado”, explica.

Pequenos hábitos, como trocar o elevador pela escada ou estacionar em uma vaga mais distante, podem substituir a necessidade do exercício físico diário na academia. “As pessoas que malham buscam melhorar a aparência. Porém, essas pequenas mudanças no dia-a-dia, somadas a uma dieta balanceada e acompanhada pelo nutricionista, já fazem uma grande diferença”, disse.

Riscos
Entre os principais riscos das dietas para perda de peso rápido estão:
• Desnutrição proteica
• Transtornos alimentares (como bulimia e anorexia)
• Transtorno do Comer Compulsivo, conhecido como Binge.

Este último, apesar de pouco conhecido, é bastante comum hoje em dia. É quando a pessoa mantém um hábito de alimentação pouco saudável e, quando se depara com o alto peso, resolve parar de comer por vários dias. “Isso é como uma panela de pressão; alguma hora tem que explodir! Um dia a pessoa vai comer tudo o que não comeu de uma vez só”, alerta o médico.

A média ideal para perder peso é de 2 a 4 Kg por mês. Segundo André, hoje em dia as pessoas se preocupam em fazer isso em uma ou duas semanas. Os medicamentos e alimentos que prometem auxiliar na perda de peso devem ser devidamente reconhecidos pelas Sociedades Científicas de cada área e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Todo cidadão deve procurar saber a procedência dos produtos que usam e utilizá-los com a supervisão do médico”, disse André.

A Secretaria de Saúde disponibiliza todo o tratamento para a perda de peso. O paciente deve procurar o Centro de Saúde mais próximo de sua casa, onde ele terá o atendimento com o Clínico Geral que, havendo a necessidade, encaminhará para o endocrinologista.

Por Lucas Carvalho, da Agência Saúde DF
Atendimento à Imprensa
(61)3348-2547/2539 e 9862-9226