Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/03/14 às 11h38 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Saúde oferece atendimento humanizado a pessoas em situação de violência

COMPARTILHAR

SES conta uma Rede de Serviços de Atenção Integral

A violência representa nos dias atuais a principal causa de morte, doença e tentativa de suicídio. Dados do Ministério da Saúde mostram que ela é a terceira causa de adoecimento e a primeira em mortes na faixa etária dos nove aos 59 anos de idade.

A chefe do Núcleo de Estudos e Programas na Atenção e Vigilância em Violências (NEPAV) da Secretaria de Saúde, Lucy Mary Stroher, relata que a SES conta com uma Rede de Serviços de Atenção Integral a Saúde de Pessoas em situação de violência – Rede Esperança. “A nossa Rede é composta pelos Programas de Pesquisa, Assistência e Vigilância em Violência os “PAVs” que estão localizados em todos os hospitais públicos. Os PAVs realizam atendimento psicossocial às pessoas em situação de violência em todos os ciclos de vida (criança, adolescente, mulher, homem e idoso)”, informou.

Segundo Lucy Storher, o objetivo dos atendimentos é a intervenção nos agravos a saúde resultantes das situações de violência. “Várias são as conseqüências na vida e na saúde física e mental das pessoas envolvidas nestas situações. Acolhemos o oferecemos uma assistência especializada às vitimas e aos agressores sexuais. Temos buscado capacitar os profissionais de saúde para qualificar este atendimento por que entendemos que ao atender as vitimas e seus agressores, estamos oferecendo uma atenção integral e intervindo em todos os fatores para a interrupção do ciclo da violência”.

Conforme a chefe do NEPAV, o Distrito Federal tem o enfrentamento da violência como uma de suas prioridades em todas as suas políticas e a SES vem trabalhando nesse sentido buscando executar ações baseadas em normas e diretrizes do SUS e apoiada em três eixos importantes que são a promoção à prevenção e o atendimento.

Coordenador do PAV– Gardênia do Gama, o enfermeiro Adair Fernandes informa que o serviço atende a qualquer pessoa em situação de violência que resida no Gama e na Região Metropolitana do Distrito Federal. “O serviço acolhe pessoas atendidas no Hospital, centros de saúde, nas redes de apoio como conselhos tutelares, nos Centros de Referência Especializada em Assistência Social (CREAS) e CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), além das delegacias especializadas, Vara da Infância e Juventude, prestando assistência individual, familiar e em grupos às vítimas de violência sexual, psicológica e às vítimas de negligências ocorridas nos ambientes domésticos e públicos, com a finalidade de prevenir e tratar os danos à saúde mental decorrentes das experiências de violência”, descreveu o enfermeiro.

De acordo com Fernandes, a violência pode produzir sérios agravos na saúde física como as doenças sexualmente transmissíveis (HIV, Sífilis), infecção por hepatites, lesões, ferimentos, gravidez indesejada, dentre outros. “Para prevenir tais agravos, as vítimas devem receber atendimento médico o mais rápido possível para que seja realizada a profilaxia e o tratamento continuado adequado”, disse Fernandes.

O PAV-Gardênia oferece as seguintes modalidades de atendimento: acolhimento das vítimas e famílias; consulta de enfermagem; grupo de mulheres; grupo de adolescentes e seus cuidadores; grupo de crianças e seus cuidadores; intervenção psicológica breve individual ou familiar.

Dados do Núcleo de Estudos e Programas para Acidentes e Violência da Secretaria de Saúde, o programa da Regional do Gama é quem mais notifica caso de violência na SES. De 2009 a 2013 foram 1.791 casos registrados junto ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), seguida da Regional de Saúde da Asa Norte com 1.142 e da Regional de Saúde de Ceilândia com 1.036 notificações.

Como funciona

O Núcleo de Estudos e Programas na Atenção e Vigilância em Violências – NEPAV é a unidade técnica que normatiza, articula, promove e coordena a operacionalização dos serviços para pessoas em situação de violência no âmbito da Secretaria de Saúde e visa à atenção integral as vitimas de violência em todas as Unidades da SES 

A Rede Esperança é composta pelos Programas de Pesquisa, Assistência e Vigilância em Violência – PAV que está localizado em todas as Regionais de Saúde. Os PAVs realizam atendimento psicossocial às pessoas em situação de violência em todos os ciclos de vida e possui 20 serviços de atendimento as vitimas de violência, um de atendimento ao adolescente autor de violência sexual e um para o atendimento ao adulto autor de violência sexual.

O NEPAV atua nas ações de mobilização realizadas nas unidades de saúde visando sensibilizar e conscientizar os profissionais de saúde em relação à violência tais como o correto preenchimento da ficha para o SINAN (Sistema de Informações de Agravos de Notificação) que tem por objetivo o registrar e processar dados sobre os agravos de notificação em todo o território nacional.

 

Por Eliane Simeão, da Agência Saúde DF.
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226