Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/03/15 às 17h22 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Plenária popular discute as condições do Sistema Único de Saúde

COMPARTILHAR

Encontro dura dois dias e reúne temas sobre ciência, tecnologia e inovação

BRASÍLIA (27/3/15) – Teve início nesta sexta-feira (27) a Plenária Popular da Região Centro Oeste e Tocantins. O evento foi aberto com a participação do secretário de Saúde, João Batista de Souza, e ocorre até este sábado (28), na Câmara Legislativa. O objetivo do encontro é reunir representantes de movimentos sociais, gestores e autoridades do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e DF para avaliar o Sistema Único de Saúde (SUS).

“A participação de todos esses segmentos é necessária, porque nestes grupos se concentram o controle social para monitorar o SUS. Embora possua aproximadamente 26 anos, o SUS ainda não está totalmente consolidado e todos nós estamos em uma luta para implantar um dos maiores sistema de saúde em sua plenitude”, defendeu o secretário de Saúde do Distrito Federal, João Batista, após agradecer pelo apoio das secretarias dos estados participantes para que Brasília fosse sede desta plenária.

O presidente do Conselho Estadual do Goiás, Venerando Lemes de Jesus, destacou a importância da representação dos estados dessa região. “Eles têm uma agenda e características muito parecidas no que diz respeito à implantação do SUS. Nesta plenária, queremos que os usuários dos serviços e os movimentos populares possam participar e dar a sua opinião”, complementou.

A presidente do Conselho Nacional de Saúde, Maria do Socorro de Souza, também enfatizou a necessidade da discussão para a elaboração das políticas públicas. “Precisamos saber os rumos do SUS e a participação da população é fundamental para identificarmos os problemas que os usuários enfrentam. A agenda do usuário também é nossa”, disse.

PROGRAMAÇÃO – A plenária iniciou os debates em torno de quatro eixos, divididos por grupos de discussão, na tarde desta sexta-feira e irá concluir na manhã deste sábado (28), quando as considerações feitas pelos grupos serão apresentadas. “Serão discutidos nesses eixos os pontos frágeis do SUS, o que precisa ser melhorado. Aqui não tem caráter deliberativo, é apenas coleta de sugestões para serem consolidadas na 9ª Conferência de Saúde do Distrito Federal, em julho, e na 15ª Plenária Nacional”, destacou o conselheiro de saúde do DF e coordenador de relatoria do evento, Bruno Metre.

Com o maior número de participantes, o eixo que discutiu gestão estratégica e participativa reuniu cerca de 50 pessoas. “Por mais que a gente tenha recursos humanos, orçamento, enfim, todos os pressupostos para trabalhar, se faltar gestão, estratégia e participação, não há resultado dos trabalhos”, frisou Helvécio Ferreira, presidente do Conselho de Saúde do DF.

Um segundo eixo discutiu infraestrutura e reuniu o menor número de pessoas: 22 participantes. “Estamos aqui para referenciar o tema, tratar da comunicação em saúde e incorporação tecnológica, novas formas de se fazer. Pensar diretrizes mais sintéticas, avaliar a situação de hoje do SUS e avançar na questão do financiamento”, elencou o assessor da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, Esdras Pereira.

No eixo três, foi onde teve o maior número de participantes de Tocantins e Goiás, além de uma quantidade significativa de estudantes de saúde coletiva e de farmácia, e de representantes do segmento trabalhadores. Este grupo tratou de modelos de gestão, trazendo como um dos temas a valorização do trabalhador e da educação em saúde.

O quarto eixo teve o diálogo organizado pelo subsecretário de Gestão Participativa da Secretaria de Saúde do DF, Tiago Araújo Coelho de Souza. A primeira parte da conversa elencou os pontos negativos do modelo de atenção e, posteriormente, ideias de como corrigir estes pontos.

ROTEIRO – Coordenado pelo Conselho de Saúde do Distrito Federal, o evento antecede a 9ª Conferência de Saúde do Distrito Federal, presidida pelo secretário de Saúde do DF, nos dias 24 e 25 de julho, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Na ocasião, serão eleitos 68 delegados do DF, sendo 34 usuários, 17 trabalhadores e 17 gestores. O grupo produzirá uma série de propostas para serem apresentados na 15ª Conferência Nacional de Saúde.

O encontro, que terá representação de todas as regiões do país, está marcado para novembro e terá 4.320 delegados, sendo 296 do Centro-Oeste. O tema será “Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas”, sob o eixo “Direito do povo brasileiro”, que também serão discutidos na Plenária Nacional, em 13 e 14 de abril.