Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/11/19 às 12h56 - Atualizado em 27/11/19 às 12h56

Profissionais da Atenção Primária de Brazlândia realizam ação em alusão ao Novembro Azul

COMPARTILHAR

 

 

UBS 1, 3 e 4 atenderam 397 pessoas durante todo o dia

 

Os moradores de Brazlândia receberam, nesta terça (26), uma ação de prevenção e combate ao câncer de próstata. Em alusão ao Novembro Azul, data mundial com foco na prevenção e no tratamento da doença, as Unidades Básicas de Saúde (UBS) 1, 3 e 4 da cidade realizaram o agendamento de exames laboratoriais de PSA (antígeno prostático específico) para detecção de alterações na próstata.

 

“O projeto visa a reforçar a conscientização e a luta contra o câncer de próstata por meio do diagnóstico precoce. Nosso objetivo foi o de alcançar, por meio da prevenção e da promoção à saúde, o máximo de homens”, explica Aline Costa, gerente da UBS 1 de Brazlândia.

 

Além de sensibilizar a população masculina sobre as neoplasias malignas, os profissionais falaram sobre a importância dos cuidados gerais com a saúde. Para isso, aplicaram vacina contra o sarampo, realizaram a medição de pressão arterial, aferição de glicemia, além da testagem para HIV, sífilis e hepatites.

 

“Essas ações integradas e com atuação multiprofissional demonstram o cuidado amplo que a atenção básica à saúde oferece à população”, comenta o diretor regional de Atenção Primária da Região de Saúde Oeste, Maurício Fiorenza.

 

PREVENÇÃO – O Novembro Azul é um movimento mundial destinado a reforçar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. No Brasil, a doença é o segundo tipo de neoplasia mais comum entre as pessoas do sexo masculino e as maiores vítimas são os homens a partir dos 50 anos de idade, além de pessoas com presença da doença em parentes de primeiro grau, como pai, irmão ou filho.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou dos 50 anos sem estes fatores devem ir ao urologista para o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações na glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos; e o exame de sangue PSA.

 

A indicação da melhor forma de tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde atual do paciente, extensão da doença e expectativa de vida. Em casos de tumores de baixa agressividade, há a opção da vigilância ativa, na qual se faz o monitoramento periódico da evolução da doença, intervindo se houver progressão da mesma.

 

NÚMEROS – Durante o evento, 147 pacientes fizeram aferição de pressão arterial, da glicemia e consultas de Enfermagem; 93 passaram por testes rápidos para detrectar HIV, sífilis e hepatites B e C; 47 foram orientados sobre alimentação saudável, tabagismo e prática da ventosaterapia; 110 foram agendados para realizar exames laboratoriais, inclusive PSA; e foram entregues 90 kits odontológicos, com orientações quanto à escovação.

 

Da Agência Saúde

Fotos: Divulgação/Saúde-DF