Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
31/03/21 às 17h24 - Atualizado em 31/03/21 às 18h38

Quase 13% da população do Distrito Federal já foi vacinada contra a Covid-19

COMPARTILHAR

Cobertura vacinal considera a população-alvo da vacinação, que são adultos acima de 18 anos

 

JOHNNY BRAGA, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

Em quase 90 dias da campanha de vacinação contra a Covid-19, o Distrito Federal já vacinou 12,9% da população-alvo, que são adultos com 18 anos ou mais. De acordo com a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), o DF tem 2.309.944 pessoas acima dos 18 anos. Para se obter a cobertura vacinal, deve-se considerar somente a população-alvo, uma vez que ainda não há vacina para crianças e adolescentes. Até o momento, já foram vacinadas 297.956 integrantes do grupo prioritário. Com a segunda dose, foram 75.485 vacinados, o que corresponde a 3,27% de cobertura.

 

Vacinação começou no DF no dia 19 de janeiro e contempla, neste momento, quem tem 67 anos ou mais – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

“Até então se calculava o percentual relacionado à população total do DF e isso não correspondia a nossa meta que é vacinar a população com 18 anos ou mais”, explica a subsecretária de Planejamento em Saúde, Cristiane Braga. A subsecretária destaca ainda que “a taxa de cobertura vacinal corresponde ao número de pessoas do público-alvo que foram vacinadas. No caso da vacina contra a Covid-19, temos um denominador para a população do DF com idade superior a 18 anos”.

 

O coordenador de Atenção Primária da Secretaria de Saúde, Fernando Érick Damasceno, considera que a organização das bases de vacinação montadas em pontos estratégicos contribuiu para dar celeridade ao processo. Além disso, Fernando também pontua que o DF está em um ritmo progressivo de abertura de bases de modo a alcançar a população dos grupos prioritários o mais rapidamente possível.

 

“A vacinação é o principal recurso terapêutico capaz de frear esse ritmo da pandemia no Brasil. Estamos sempre na expectativa da chegada de mais doses, pois nossa capacidade de vacinação é grande”, observa.

 

Vacinômetro

 

Os indicadores percentuais passam a ser informados no Vacinômetro da Secretaria de Saúde a partir desta quarta-feira (31). Das 448.410 doses recebidas pelo Distrito Federal, 415.980 já foram distribuídas para as redes de frio regionais e o restante está armazenado na Rede de Frio Central, no Parque de Apoio.

 

Considerando as doses distribuídas, já foram utilizadas 92,03% do total distribuído para aplicação da primeira dose e 81,86% para a segunda. Atualmente, são utilizadas as vacinas CoronaVac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac e a vacina de Oxford, produzida pelo laboratório AstraZeneca, e no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz.

 

População de outros estados

 

No último boletim sobre a vacinação no DF divulgado na última segunda-feira (29), a Secretaria de Saúde divulgou que vacinou com a primeira dose, até o momento, 29.106 pessoas que residem nos 26 estados brasileiros. Com o reforço, esse número é de 10.922.

 

Diante dessa realidade, o secretário de Saúde, Osnei Okumoto e o presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF, Gilberto Occhi, foram até o gabinete do novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga e explicaram esse cenário da vacinação.

 

Segundo os gestores locais, por causa da localização, a capital do país vem recebendo moradores de municípios vizinhos da região do Entorno, especialmente de Goiás, que lotam a rede de saúde distrital em busca de imunização contra o coronavírus.

 

Essa procura não programada tem prejudicado o atendimento à população local, tanto que a Secretaria de Saúde estuda a possibilidade de exigir comprovante de residência para garantir que nos postos da rede só sejam vacinados os moradores das regiões administrativas do DF.

 

Queiroga sinalizou que o Ministério da Saúde está sensível às reivindicações e aberto para trabalhar em parceria a fim de melhorar a saúde pública do Distrito Federal. “Vamos aprofundar as discussões, sobretudo, para aprimorar a assistência no DF”, afirmou.

 

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: