Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/08/13 às 15h14 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Rede Pública recebe 400 macas novas

COMPARTILHAR

Mais agilidade e segurança no atendimento ao Usuário

Os hospitais da Rede pública do DF receberam 400 macas novas da marca francesa Linet.cz, modelo Sprint, nesse último mês de julho. Os equipamentos têm características especiais como leveza no manuseio, facilidade para fazer curvas, colchão macio e espesso, grades fortes e removíveis, entre outros benefícios.

Outra melhoria é que as macas têm um material mais resistente e são fáceis de serem transportadas e de limpar. O tamanho é agradável, se adapta facilmente em qualquer lugar, possui porta-cilindro de oxigênio, é segura, tem dispositivo de nivelamento com a cama de internação. Para a paciente Raquel Lima de Souza, as macas trouxeram mais conforto na sua internação. “Gostei das grades que ficam em volta da maca. Podemos nos apoiar melhor, e os colchões também são bem confortáveis”, comenta.

O Hospital Regional de Taguatinga recebeu 45 macas (camas de transferência), que se destinam exclusivamente ao transporte e remoção de pacientes entre um setor e outro, para consultas, realização de exames, remoções internas em geral.

Com a chegada das novas macas, a agilidade e a segurança foram otimizadas no atendimento. “Com as novas macas, temos mais agilidade e eficiência nas remoções, pois, como ela é moderna, leve e de fácil manejo, trouxe mais segurança e conforto para os pacientes, além de melhorar na qualidade da assistência médica e de enfermagem”, destaca a enfermeira da Clínica Cirúrgica do Hospital de Taguatinga, Neusimar Xavier.

Diversos setores como Unidade de Clinica Cirúrgica-UCG, Pronto-Socorro, Ginecologia, Pediatria, Clínica Médica, Ortopedia, Oncologia; Núcleo de Regulação; Banco de Sangue; Neurologia; Cardiologia; Nefrologia; Ambulatórios de todos os hospitais foram atendidos. Cem por cento dos servidores entrevistados aprovaram o novo equipamento.

As macas mais antigas eram de ferro, rígidas, por isso mais pesadas, sem regulagem de altura, sem dispositivo de travamento das rodas, sem grades de segurança, e muitas vezes sem colchões e algumas já estavam desgastadas.

O Hospital de Base recebeu 88 macas; Hospital Materno Infantil de Brasília, 15; Hospital de Apoio, 05; Hospital Regional da Asa Norte, 51; Hospital  do Gama, 36; Hospital de  Brazlândia, 20; Hospital de Ceilândia, 36; Hospital de Taguatinga, 45; Hospital de Planaltina, 30; Hospital de Sobradinho, 30; Hospital de Samambaia, 17; Hospital do Paranoá, 10; Hospital do Guará, 05; Hospital de Santa Maria, 10; Hospital São Vicente de Paulo, 02.

Para a técnica em enfermagem, Petronilia Araújo, 48, “as macas melhoraram e muito o nosso serviço, pois, além de modernas e práticas, podemos nivela-las com a cama e isso facilita o trabalho. É um ganho essencial para o setor, ao servidor e principalmente ao paciente.” destaca Petronília.

Alessandra Franco