Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/12/14 às 13h35 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Rede pública trata Esclerose Amiotrófica

COMPARTILHAR

Servidores são treinados para atender pacientes em casa

 

BRASÍLIA (10/12/14) – A rede pública de saúde do Distrito Federal oferece tratamento para Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), doença degenerativa do sistema nervoso, sem causa definida. Somente no primeiro semestre deste ano, 52 pacientes iniciaram acompanhamento. Em 2013, 89 pessoas foram assistidas pelo Centro de Referência para Doenças Neuromusculares (CRDM) do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN).

A ELA é uma doença degenerativa que provoca a morte dos neurônios motores no cérebro e na medula espinhal, de forma difusa, acarretando fraqueza e atrofia progressiva dos músculos. São comprometidas as funções motoras, a deglutição e a musculatura respiratória.

A médica neurologista e neurofisiologista do HRAN, que também é a coordenadora do CRDM, Mirian Moura, explicou que “na forma mais frequente, a de início espinhal, os sintomas de fraqueza e atrofia surgem na mão ou na perna, geralmente de um dos lados do corpo. Na forma de início bulbar, os primeiros sintomas são alteração da fala, dificuldade para engolir e engasgos com água ou alimentos”.

De acordo com a Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica (Asbrela), há cerca de um caso para cada 100 mil pessoas por ano.

“Todos os pacientes são acompanhados por uma equipe multidisciplinar composta por neurologista, pneumologista, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, nutricionista e psicólogo. Além desses profissionais, temos dois fisioterapeutas respiratórios que são especialistas em Ventilação não Invasiva Domiciliar, técnica que está sendo replicada para outros profissionais da rede”, acrescentou Mirian.

Os dois fisioterapeutas respiratórios, além de acompanhar os pacientes em todas as fases da doença, também assistem aqueles que já perderam os movimentos voluntários. Aos poucos, a Ventilação não Invasiva Domiciliar é introduzida na rotina do paciente no seu ambiente familiar.

“Nós iniciamos com o BIPAP no período noturno, pois como a doença é no músculo pode haver perda de autonomia durante o sono. Depois, conforme a evolução da doença, o procedimento também é realizado durante o dia”, explicou o fisioterapeuta respiratório do CRDM, Sérgio Leite.

A marcação de consulta com a equipe do CRDM acontece de segunda à sexta-feira, em horário comercial, diretamente na unidade localizada no Núcleo de Medicina Física e Reabilitação do HRAN. Casos suspeitos também têm atendimento nos ambulatórios de Neurologia das regionais de saúde.

TREINAMENTO – O CRDM do HRAN trabalha com a técnica de Ventilação não Invasiva Domiciliar. Os fisioterapeutas da unidade, no entanto, decidiram replicar seus conhecimentos para os profissionais dos Núcleos Regionais de Atenção Domiciliar (NRAD) e outros fisioterapeutas da rede.

SERVIÇO

HRAN: Setor Médico Hospitalar Norte, Quadra 101- Área Especial
Telefone CRDM: 3325-4219